conecte-se conosco

Curitiba

Tentativa de estupro em bosque vizinho à escola deixa bairro em pânico

Publicado

Tribuna Paraná

Imagens de uma câmera de segurança do Colégio Estadual Pinheiro do Paraná, em Santa Felicidade, Curitiba, registraram o momento em que um homem ataca uma jovem em uma suposta tentativa de estupro. A ação ocorreu na tarde de terça-feira (2) e mostra a estudante Tayna de Araujo Slon, 18 anos, correndo de um homem armado com uma faca, em uma via pública lateral do colégio, que fica na Rua Daniel Cesário Pereira. Essa via tem um bosque e o suspeito teria abordado a jovem para leva-la até lá. Tayna de Araújo tinha acabado de deixar os dois irmãos menores dela no colégio.

A própria vítima contou que conseguiu escapar do suspeito por um movimento que fez para trás. “Eu vi a faca. Ele me disse para ficar tranquila e ir com ele até o bosque. Com o susto, eu fui para trás e consegui sair correndo. Não consigo lembrar se a faca chegou a pegar na minha barriga. Eu corri muito até a porta da escola”, disse a jovem.

Tayna conta que no colégio os funcionários tentaram acionar a patrulha escolar, mas por falta de viatura a jovem teve que ficar aguardando para ir embora até um horário perto das 15h. “Foi quando resolvemos chamar o meu avô para me buscar. Antes mesmo dele chegar, eu saí da escola e caminhei a pé até o Farol do Saber, para encontrar com meu avô no caminho”, relatou. O Farol do Saber fica em torno de duas quadras da escola.

Segundo a jovem, depois que os dois se encontraram, o avô avistou uma viatura da Guarda Municipal passando na rua. “Ele avisou os guardas e voltamos juntos na escola. Eles viram as imagens das câmeras de segurança e, depois, nós fomos juntos até o 12.ª Distrito Policial para fazer o boletim de ocorrência”. A família ficou de retornar na delegacia na tarde desta quarta-feira (3), para concluir o boletim.

Leia mais:  Cemitério de bikes: centenas de bicicletas empilhadas incomodam vizinhos em Curitiba

A família de Tayna está apavorada. A jovem não sai de casa deste a tarde de terça, deixando de frequentar as aulas desta quarta. Eles querem que o caso se resolva o mais rápido possível. “Já reclamamos deste bosque, que poderia ter mais proteção, até uma grade para proteger de um abismo que tem ali. A filha de uma amiga minha, inclusive, passou por situação parecida há muitos anos. Um cara também pegou ela por ali. Queremos divulgar bastante isso, porque tem muita menina que a mãe não tem tempo de levar para escola. E ali corta duas quadras para chegar no colégio. Ninguém quer viver com medo”, disse a auxiliar de cozinha Marilis de Araújo Silva, 42 anos, mãe de Tayna.

Marilis ainda explicou que o suspeito da tentativa de estupro já teria sido reconhecido, por causa da placa do carro que ficou gravada nas imagens da câmera de segurança da escola. Porém, até o fechamento da matéria a reportagem ainda não tinha obtido acesso ao B.O. que seria registrado pela família.

Confirmando a versão da jovem do que teria ocorrido na terça, a GM disse que foi acionada pelo familiar de uma mulher de 18 anos, que teria sido vítima de tentativa de estupro, mas conseguiu fugir. Segundo a GM, foram realizadas rondas pela região, porém, o suspeito não foi localizado.

Representando o colégio por meio de nota, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed) disse que fato ocorreu fora do ambiente escolar, envolvendo uma moradora da comunidade que é irmã de alunos da escola. A Seed ainda informou que a diretora da escola acolheu a vítima, entrou em contato com a família e acionou o Batalhão da Patrulha Escolar Comunitária (BPEC), prestando auxílio até que um familiar viesse buscá-la.

Também foi confirmado pela secretaria que a Guarda Municipal foi acionada pelo familiar da vítima. “A direção da escola solicitou a presença do BPEC na escola pelos próximos dias. Por fim, importante esclarecer que a Secretaria de Educação não responde pela segurança fora do ambiente escolar nem por investigações criminais”, explicou a nota.

Leia mais:  Vereadores aprovam socorro a empresas de ônibus de Curitiba

A notícia da ocorrência com a Tayna de Araújo se espalhou por grupos de aplicativos de mensagens, por onde vizinhos do bairro seguem atentos às informações sobre a possível identificação do suspeito. Até o fechamento da matéria não havia informação sobre a prisão do homem que aparece nas imagens correndo atrás da vítima.

Leia as notas na íntegra

Seed

“A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte esclarece que o episódio mencionado ocorreu fora do ambiente escolar, envolvendo uma moradora da comunidade que é irmã de alunos da escola. Trata-se de um caso a ser investigado, para que os fatos sejam devidamente apurados e as medidas cabíveis, tomadas. A diretora da escola acolheu a vítima, entrou em contato com a família e acionou o Batalhão da Patrulha Escolar Comunitária, prestando auxílio até que um familiar viesse buscá-la. A Guarda Municipal foi acionada pelo familiar da vítima. A direção da escola solicitou a presença do BPEC na escola pelos próximos dias. Por fim, importante esclarecer que a Secretaria de Educação não responde pela segurança fora do ambiente escolar nem por investigações criminais.”

Guarda Municipal

“Na tarde de terça-feira, uma equipe da Guarda Municipal foi acionada pelo familiar da vítima nas proximidades de um colégio estadual, em Santa Felicidade.

De acordo com ele, a mulher de 18 anos estava andando na rua quando foi abordada por um homem, mas conseguiu fugir.

A vítima foi levada até o 12° Distrito Policial para fazer o boletim de ocorrência. Mesmo após as rondas realizadas, o suspeito não foi localizado.”

Comentários Facebook

Curitiba

Defensoria Pública do Paraná emite recomendação aos postos de combustíveis sobre reajuste abusivo

Publicado

O Núcleo de Defesa do Consumidor (NUDECON) da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) emitiu, nesta segunda-feira (14), uma Recomendação à entidade que representa os donos de postos de combustíveis do Paraná, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Derivados de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná (Paranapetro).

O objetivo, segundo o Coordenador do Núcleo, Defensor Público Erick Lé Palazzi Ferreira, é coibir o abuso quando a Petrobrás anunciar reajustes. “O que se viu em vários casos na última quinta-feira foi uma prática abusiva, uma elevação injustificada dos preços”, explica o Defensor.

De acordo com ele, a Recomendação pretende barrar a prática de repassar o reajuste com produto comprado por preço velho. “Antes de ter sido repassado o aumento, os postos já estavam aplicando. O que fizeram foi pegar um produto mais barato e colocar o preço exorbitante”.

Segundo a Recomendação, os varejistas de combustíveis devem se abster de aumentar os preços antes da existência real de reajuste das distribuidoras. “Caso haja reclamações e comprovação sobre aumento excessivo de combustíveis pelos postos, o Nudecon adotará as medidas judiciais cabíveis, individuais ou coletivas, para areparação de eventuais danos”, afirma a Recomendação.

Leia mais:  Obras da Sanepar deixam cinco bairros de Curitiba sem água

Na semana passada, a Petrobrás anunciou reajuste dos combustíveis. De acordo com a empresa, o aumento seria de 18,77% para a gasolina, 24,9% para o diesel e 16% para o gás de cozinha.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana