conecte-se conosco

Política

Servidores acampados em frente ao Palácio do governo reagem a proposta: ‘ a greve continua’

Publicado

Redação Bem Paraná com assessoria

Logo após o anúncio da reposição salarial parcelada até 2022, os servidores estaduais acampados na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, gritaram palavras de comando: “a greve continua”. “Essa reação representa a insatisfação do servidores que estão aqui em greve”, disse Marlei Fernandes de Carvalho, coordenadora do Fórum das Entidades Sindicais (FES), responsável pelo comando da greve. Os trabalhadores estão em greve por tempo indeterminado desde o dia 26 de junho

Ela relata que a proposta apresentada representa graves prejuízos aos servidores. “Quando recebemos em mãos a proposta, constatamos que ela é muito mais grave do que tínhamos achado, pois esse meio porcento se traduz em um monte de retirada de direirtos dos servidores”, declarou Marlei. “E isso é inaceitável, por isso a reação de todas as pessoas que estão na greve e que estão aqui na praça”, disse.

Delegados e policiais

A Associação dos Delegados de Polícia do Paraná, em conjunto com o Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná, enviou uma nota às redações um comunicando para falar sobre os rumos do movimento, em uma entrevista, à tarde. “Diante da proposta de reposição salarial dos servidores públicos do estado, apresentada pelo governador do estado, Ratinho Junior, e compreendendo que estão exauridas as tentativas de negociação direta com governo, a Associação convoca toda a imprensa”. No parágrafo seguinte informa que “tratará de temas sensíveis a sociedade paranaense a partir de decisões que serão anunciadas durante o encontro com os jornalistas”.

Leia mais:  Servidores estaduais marcham em protesto para pressionar o governo do Estado

Professores

Segundo levantamento da APP-Sindicato, cerca de 90% das escolas participam do movimento parcial ou totalmente e em torno de 55% dos(as) professores(as) e funcionários(as) das escolas da rede pública estadual cruzaram os braços. Além da educação, funcionários(as) de outras categorias como saúde, meio ambiente também estão parados.

“Mais trabalhadores estão entrando na greve ao perceberem a gravidade da situação. Além de negar o pagamento da data-base, o governo nos ameaça com projetos de acabar com direitos dos servidores”, comenta o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

Acampamento

Depois de reunir mais de 15 mil pessoas nas ruas de Curitiba, na última segunda-feira, o Fórum das Entidades Sindicais (FES) montou acampamento em frente ao Palácio Iguaçu. A vigília espera por uma reunião com o governador para negociar a revisão dos salários, que estão congelados há mais de três anos.

Reivindicação

O funcionalismo reivindica o pagamento de 4,94%, referente a inflação dos últimos 12 meses, mais negociação dos atrasados. Sem reposição desde 2016, as perdas acumuladas passam de 17%. De acordo com o economista do FES, o prejuízo é equivalente a deixar de receber mais de dois salários por ano.

Leia mais:  Greca propõe tarifa de ônibus diferenciada por horário em Curitiba

De acordo com estudos orçamentários do FES, a reivindicação pode ser atendida e não oferece riscos às contas públicas. Com base em dados da Secretaria da Fazenda, a despesa com pessoal é a menor dos últimos 10 anos. Em março, a imprensa oficial divulgou que o Paraná lidera o ranking nacional de saúde financeira.

Comentários Facebook

Política

Eleitores têm até 6 de maio para procurar cartório e regularizar situação eleitoral

Publicado

Para votar nas Eleições Municipais de 2020, os eleitores devem estar atentos ao prazo de 6 de maio, que é o último dia para regularizar a situação na Justiça Eleitoral. A partir do dia 7 de maio até o final da eleição, o Cadastro Eleitoral ficará fechado – período em que nenhuma alteração poderá ser efetuada no registro do eleitor –, sendo permitida somente a emissão da segunda via do título. Esse prazo é importante para que a Justiça Eleitoral tenha um retrato fiel do eleitorado que participará do pleito.
Diversos serviços podem ser solicitados diretamente nos cartórios eleitorais, sem a necessidade de intermediação de terceiros. São eles: emissão do título de eleitor, transferência de domicílio eleitoral, revisão dos dados e cadastramento biométrico, entre outros. Todos esses serviços são gratuitos.

Dia 6 de maio também é a data-limite para o cidadão procurar o cartório para pedir a mudança de domicílio eleitoral e regularizar sua situação, estando apto a exercer o direito de voto.

É possível verificar a regularidade do título acessando o Portal do TSE. Basta clicar em Serviços ao Eleitor e, depois, em Situação Eleitoral. As informações necessárias são nome completo e data de nascimento.

Leia mais:  Deputados paranaenses podem proibir venda de pets no Estado

Fonte: Blog Politica em Debate

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana