conecte-se conosco

Curitiba

Curitiba tem rede integrada à pessoa com deficiência

Publicado

Curitiba tem uma Rede de Atendimento Integrado às Pessoas com Deficiência em Situação de Risco. Definida por decreto assinado pelo prefeito Rafael Greca, nesta quinta-feita (5/3), a rede visa a inclusão da pessoa com deficiência em situação de vulnerabilidade social com acompanhamento, promoção e encaminhamento.

“É com grande alegria que assino o decreto da Rede. É mais um passo para que a cidade de Curitiba seja de fato o que diz o seu hino: um paraíso na Terra onde as pessoas são todas iguais e têm os mesmos direitos”, disse o prefeito Rafael Greca.

 

No evento de assinatura, o prefeito foi acompanhado da primeira-dama, Margarita Sansone, do Promotor de Justiça, José Américo Penteado de Carvalho e do Desembargador do TRE, Rogério de Assis e do vereador Pier Petruzziello.

Com a implantação da Rede de Atendimento, será possível oficializar o trabalho de articulação e assessoramento dos casos, permitindo uma agilidade nos fluxos de trabalho e no engajamento das equipes setoriais.

A Rede é uma iniciativa inovadora que traz um importante marco para a gestão, reafirmando o compromisso com a inclusão social das pessoas com deficiência e promovendo o exercício pleno de sua cidadania.

“É uma política pública que visa a inclusão social e que deve existir até que não haja mais a exclusão das pessoas com deficiência. É uma honra para mim trabalhar numa prefeitura que respeita, acolhe e cuida”, disse Denise Moraes, diretora do Departamento dos Direitos PcD.

Leia mais:  Casal é preso com plantação de maconha e duas estufas dentro de casa, em Curitiba

Objetivos

Dentre os principais objetivos estão coordenar e acompanhar ações e políticas públicas para a promoção, garantia e defesa dos direitos da pessoa com deficiência em situação de risco e vulnerabilidade social; acompanhar casos de ameaças e/ou violação de direitos de pessoas com deficiência, atuando diretamente na promoção de acessibilidade aos serviços municipais nos casos onde existam impasses ou divergência de posicionamento.

E também realizar ou solicitar visitas institucionais e domiciliares, visando reunir informações dentro da área de atuação psicossocial, que contribuam para o adequado encaminhamento das demandas atendidas pela Rede.

Titulares e suplentes

No evento, realizado no Salão Brasil do Palácio 29 de março, o prefeito Rafael Greca também assinou o decreto número 281, que nomeia os titulares e suplentes da Rede.

Por parte da Secretaria de Governo Municipal (SGM) são titulares Fernanda Costa Peixoto Primo e Sara Caroline Vieira e suplentes, Denise Maria Amaral de Oliveira Moraes e Flavia Monteiro Caron. Da Fundação de Ação Social (FAS) a titular é Luiza Helena Cosmo Spaki e a suplente, Roberta Melo Olivan. Da Secretaria Municipal de Educação (SME), a titular é Angela Cristina Piotto e a suplente, Gislaine Coimbra Budel. Da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a titular é Simone Cortiano e a suplente, Ana Carolina Araújo dos Santos Schlotag. Do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD), a titular é Maira Tavares de Oliveira e a suplente, Lucilene Regina Marques. Da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, o titular é Jean Michel Filus e a suplente, Gisele de Souza Oliveira.

Leia mais:  Preso trio suspeito de roubar óleo de cozinha de restaurantes de Curitiba

Números da Rede

Desde 2017, o setor de Atendimento Psicossocial do Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Curitiba mapeou 290 casos de violação de direitos e mensamente ocorreram cerca de 300 atendimentos de acompanhamentos de denúncias, além do assessoramento dos demais órgãos da municipalidade em casos relacionados à violação de direitos das pessoas com deficiência.

“A criação da Rede surge como uma inovação ao atendimento de casos de alta complexidade, ao possibilitar discussões intersetoriais e encaminhamentos mais rápidos às situações de violência”, disse Sara Caroline Vieira, titular da Rede pela SGM.

Também participaram do evento o Secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur; o Presidente da FAS, Thiago Ferro; a Secretária Municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila; a Secretária Municipal de Saúde, Márcia Huçulak; o Secretário Municipal de Esporte e Lazer, Emílio Trautwein; a Diretora do Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Denise Moraes; a Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Lucilene Marques; o presidente da FEBIEX, Benedito Carlos Basseti e representantes das instituições que trabalham com Pessoas com Deficiência em Curitiba.

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Curitiba registra mais quatro mortes e chega a 1.665 casos de coronavírus

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana