conecte-se conosco

Cidades

Projeto de combate a incêndio e evacuação em CMEIs pode se tornar lei estadual

Publicado

JAQUELINE MOCELLIN / O Bemdito

Criado por um grupo de estudantes de Umuarama, o Projeto de Combate a Incêndio e Evacuação em Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) pode se tornar lei estadual. A iniciativa surgiu no curso de Engenharia Civil da Unipar, em 2018, quando os alunos foram incentivados a desenvolver projetos que teoricamente ainda não existiam.

“O trabalho bimestral do 4º ano foi procurar iniciativas que ainda não tinham resposta na internet. Saímos da nossa zona de conforto e fomos pensar no que fazer. A partir disso, desenvolvemos este projeto de prevenção de incêndio e evacuação dos CMEIs”, contra Bruna Pereira, que junto com outras quatro colegas de turma, idealizou a proposta. O grupo é composto pelas estudantes Bruna Pereira de Paiva, Bruna Cecon, Gabriela de Melo Alves, Sindy Mirian Leite e Mayara da Costa Virgens, sob orientação do professor Igo Henrique Nunes.

O projeto piloto foi desenvolvido no CMEI Graciliano Ramos, do bairro Ouro Branco. “Pensamos no projeto e depois desenvolvemos algumas dinâmicas com as crianças. Como são crianças bem pequenas, há uma certa dificuldade. Porém, o objetivo principal é a segurança deles”, diz Bruna.

O grupo contou com a parceria do Corpo de Bombeiros de Umuarama para elaboração do projeto piloto.

Ideia

A ideia de um programa de combate a incêndios e evacuação surgiu de uma experiência que uma das integrantes teve quando era criança. Bruna é vítima de um incêndio, que tirou a vida de seus pais e deixou sequelas em sua vida.

Leia mais:  Greve dos professores chega ao sétimo dia com maior adesão, aponta APP

“Este projeto é muito importante para nós, especialmente para mim. Eu sou vítima de um incêndio. Eu era criança e o local onde estava pegou fogo. Meus pais faleceram neste acidente e até hoje é difícil conviver com isso”, conta.

A jovem acrescenta que mostrar para as pessoas como agir, especialmente como sair de uma situação que envolva incêndio é a intenção. “Nosso foco é a segurança. Um incêndio pode ser fatal ou, no mínimo, deixar sequelas no corpo e no emocional. Eu mesma tenho queimaduras pelo corpo todo. Tinha 3 anos quando aconteceu. É importante para mim esse projeto, incentivar a prevenção”.

Premiação e proposta de lei

Ainda em 2018 o projeto foi inscrito no Google for Education, iniciativa do Google que visa premiar propostas inovadoras. “No ano passado o Google escolheu o Brasil, mais especificamente o Paraná, para receber propostas. De todos os projetos enviados, conseguimos ser selecionados entre os sete melhores do estado e fomos para Curitiba receber a premiação. Nosso projeto era o único na área de engenharia”, explica a estudante.

Após o reconhecimento, o grupo de acadêmicas manteve contato com o deputado estadual Delegado Fernando para explicar o projeto e propor que o tema se tornasse lei no Paraná. “O deputado recebeu muito bem a proposta”, diz Bruna.

Leia mais:  Amigos dormem em trilho e acabam atropelados por locomotiva em Mafra

Há alguns dias, o parlamentar publicou em suas redes sociais que apresentou o projeto de lei na Assembleia Legislativa do Paraná. “O projeto de lei 220/2019, de minha autoria, prevê que as instituições de ensino infantil e fundamental devem elaborar um plano de evacuação em casos de incêndio. A proposta visa garantir a segurança e integridade física da comunidade escolar. Incêndios destroem prédios, mas pior, eles acabam com vidas. O impacto de um incêndio em uma escola é devastador para funcionários, crianças e professores. Por isso é importante que as escolas saibam como proceder nesses casos”.

Delegado Fernando acrescentou: “Este projeto surgiu a partir da ideia de um grupo de alunos de Engenharia Civil da Unipar que desenvolveu um método de evacuação. O excelente trabalho foi, inclusive, premiado pelo Google. Quem me apresentou o projeto foi uma das integrantes da equipe, que passou na pele os impactos de um incêndio. Muito obrigado Bruna Pereira!”.

“Estamos confiantes de que a iniciativa será aprovada na Assembleia, pois visa garantir a segurança das crianças”, ressalta.

Para conhecer mais sobre o projeto das alunas, acesse o link.

Comentários Facebook

Cidades

Prefeito evangélico é alvo de macumba em Mato Grosso

Publicado

O prefeito Jeferson Ferreira Gomes (DEM), de Comodoro, extremo oeste de MT, que é evangélico, foi surpreendido por um “despacho espiritural” no cemitério da cidade. A informação é do site Olhar Direto.

Segundo a publicação, o despacho foi descoberto na primeira quinzena neste mês.

No local havia um papel com nome do prefeito em cruz, garrafa de cachaça e um sapo morto. Tudo junto e misturado. O “trabalho” foi descoberto por uma moradora que visitava o túmulo de parente.

O despacho estava na porta, com terra de cemitério sobre o nome.

Não se sabe por quais motivos, alguém deseja a morte do prefeito, que não comentou o assunto.

Mistério!

Comentários Facebook
Leia mais:  Uso de equipamentos a gás no inverno exige cuidados especiais
Continue lendo

Mais Lidas da Semana