conecte-se conosco

Norte do Estado

Guardas municipais de Londrina que pegaram parte de dinheiro apreendido em operação devem ser demitidos, aponta corregedoria

Publicado

G1 PR

Treze guardas municipais de Londrina, no norte do Paraná, devem ser demitidos. A conclusão é de um procedimento administrativo disciplinar da Corregedoria que investigou o desvio de um dinheiro que foi apreendido em novembro de 2018. Um dos guardas envolvidos no caso fez um empréstimo e devolveu o dinheiro que se apropriou à Polícia Civil.

Na época, 15 guardas municipais foram investigados porque terem relação direta com a abordagem que apreendeu R$ 860 mil. Nenhum deles foi preso, os guardas foram afastados do serviço das ruas por ordem da justiça. Todos continuaram recebendo salários.

A investigação da polícia apontou que a quantia apreendida foi maior, em torno de R$ 1,5 milhão, e que parte do dinheiro ficou com 13 guardas de forma indevida. Segundo a Polícia Civil, cinco guardas confessaram que ficaram com o dinheiro. Quatro devolveram o dinheiro e um disse que queimou a parte dele.

O guarda Vinicius Roberto Barros fez o empréstimo de R$ 21.500 e devolveu o valor na tentativa de ter pena reduzida em eventual condenação. Esse ato é chamado de arrependimento posterior, quando o investigado tenta reparar o dano após cometer um crime não violento.

Leia mais:  Casal pula de veículo em movimento para fugir de sequestradores em Londrina

Barros foi até a delegacia para entregar o valor de forma espontânea. O advogado do guarda não foi localizado para comentar o assunto.

Os guardas municipais devem ser indiciados por peculato, fraude processual e associação criminosa.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Homem é preso após agredir a mulher e bebê recém-nascido em Londrina

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana