conecte-se conosco

Política

Governo faz nova proposta de reajuste a servidores; votação deve ficar para depois do recesso

Publicado

Bem Paraná - Ivan Santos

O governo do Estado apresentou hoje uma nova proposta de reajuste salarial aos servidores públicos estaduais. Em reunião com representates do Fórum das Entidades Sindicais (FES/PR), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o Executivo acenou com a possibilidade de pagamento de reposição de 2% em janeiro de 2022. O FES manteve a posição de defender o reajuste imediato de 4,94%, referente à inflação de abril de 2018 a maio de 2019, mas sinalizou que pode aceitar o parcelamento, desde que os 2% sejam pagos ainda este ano, em outubro.

Na semana passada, o governador Ratinho Júnior (PSD) apresentou proposta de pagamento de 0,5% a partir de outubro deste ano; 1,5% a partir de março de 2020; 1,5% a partir de janeiro de 2021 e 1,5% a partir de janeiro de 2022. As duas últimas parcelas, porém, ficariam condicionadas ao crescimento da receita do Estado em relação ao ano anterior em 6,5% e 7%, respectivamente.

Depois que os servidores rejeitaram a proposta inicial e decidiram manter a greve, o governador afirmou que ela seria “final” e que não haveria reabertura de negociações com os grevistas. A repercussão negativa dessa proposta na Assembleia Legislativa, incluindo na base do próprio governo e parlamentares da chamada “bancada da bala”, que representam policiais civis e militares, levou o Executivo a retomar as conversas.

Leia mais:  Lideranças tentam convencer Favaro a se candidatar para a Prefeitura de Umuarama

Diante da nova negociação, o governo pediu a retirada de pauta do projeto encaminhado à Assembleia Legislativa na semana passada. Com isso, o presidente da Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB), afirmou que a votação da proposta deve ficar para agosto, depois do recesso parlamentar de julho. Segundo Traiano, os deputados vão encerrar as votações nesta semana.

Comentários Facebook

Política

Eleitores têm até 6 de maio para procurar cartório e regularizar situação eleitoral

Publicado

Para votar nas Eleições Municipais de 2020, os eleitores devem estar atentos ao prazo de 6 de maio, que é o último dia para regularizar a situação na Justiça Eleitoral. A partir do dia 7 de maio até o final da eleição, o Cadastro Eleitoral ficará fechado – período em que nenhuma alteração poderá ser efetuada no registro do eleitor –, sendo permitida somente a emissão da segunda via do título. Esse prazo é importante para que a Justiça Eleitoral tenha um retrato fiel do eleitorado que participará do pleito.
Diversos serviços podem ser solicitados diretamente nos cartórios eleitorais, sem a necessidade de intermediação de terceiros. São eles: emissão do título de eleitor, transferência de domicílio eleitoral, revisão dos dados e cadastramento biométrico, entre outros. Todos esses serviços são gratuitos.

Dia 6 de maio também é a data-limite para o cidadão procurar o cartório para pedir a mudança de domicílio eleitoral e regularizar sua situação, estando apto a exercer o direito de voto.

É possível verificar a regularidade do título acessando o Portal do TSE. Basta clicar em Serviços ao Eleitor e, depois, em Situação Eleitoral. As informações necessárias são nome completo e data de nascimento.

Leia mais:  Servidores estaduais deixam a Assembleia e marcham para frente do Palácio Iguaçu

Fonte: Blog Politica em Debate

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana