conecte-se conosco

Política Nacional

Bolsonaro e Moro assistem à final da Copa América no Maracanã

Publicado

Por Guilherme Mazui e Raoni Alves

O presidente Jair Bolsonaro chegou na tarde deste domingo (7) ao estádio do Maracanã para acompanhar a final da Copa América, entre Brasil e Peru. Na tribuna, ficou ao lado do ministro da Justiça, Sérgio Moro, que integrou uma comitiva de 19 autoridades.

Bolsonaro deixou Brasília no início da tarde acompanhado de ministros e parlamentares. Ao sair da residência oficial do Palácio da Alvorada, foi perguntado por apoiadores sobre o placar da decisão e apostou em vitória do Brasil por 2 a 0.

Sobre a votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara, nesta semana, o presidente evitou projetar um placar, mas demonstrou confiança em uma vitória. Mais cedo, o ministro da Casa Civil declarou que, “com pé no chão”, o governo acredita que pode passar dos 330 votos.

Principal projeto do governo até o momento, a proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência precisa ser aprovada com o apoio de, no mínimo, 308 dos 513 deputados, em duas votações. Em seguida, o texto será analisado pelo Senado, também em dois turnos.

Leia mais:  Bolsonaro quer corrigir 'equívocos' da reforma; Governo usa dados sem rigor sobre crimes

Comitiva

Torcedor do Palmeiras e fã de futebol, Bolsonaro compareceu à abertura da Copa América em São Paulo (vitória da seleção por 3 a 0 sobre a Bolívia) e à semifinal em Belo Horizonte (vitória brasileira por 2 a 0 no clássico contra a Argentina).

Antes de viajar neste domingo, Bolsonaro reuniu seus auxiliares para um almoço no Alvorada.

De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, a comitiva do presidente para a decisão tem 19 autoridades – o embaixador de Israel, Yossi Shelley; oito parlamentares, entre os quais os filhos Flávio e Eduardo; dois secretários e oito ministros:

  • Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública)
  • Ernesto Aráujo (Relações Exteriores)
  • Tarcísio Freitas (Infraestrutura)
  • Osmar Terra (Cidadania)
  • Wagner Rosário (CGU)
  • Paulo Guedes (Economia)
  • Bento Albuquerque (Minas e Energia)
  • Augusto Heleno (GSI)

Na sexta-feira (5) passada, Bolsonaro afirmou a jornalistas que, se possível, irá ao gramado no Maracanã junto do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Para o presidente, o passeio pelo gramado em um dia de estádio lotado indicará quem está certo a respeito da conduta de Moro quando era juiz, questionada a partir de diálogos atribuídos ao ministro e a procuradores da Operação Lava Jato.

Leia mais:  Bolsonaro vê 'circo armado' e diz que vai recorrer de decisão da Justiça sobre Adélio Bispo

Novos diálogos foram divulgados na sexta pela revista Veja, em parceria com o site The Intercept. A revista afirma que as supostas conversas no aplicativo Telegram mostram que Moro orientava de forma ilegal ações da Lava Jato.

“Pretendo domingo, não só ir assistir a final do Brasil com Peru, bem como, se for possível e a segurança me permitir, irei com Sérgio Moro junto ao gramado. O povo vai dizer se nós estamos certos ou não”, afirmou o presidente na oportunidade.

Os dois já haviam ido juntos a um jogo de futebol no estádio. Na ocasião, acompanharam a partida entre Flamengo e CSA, pelo Campeonato Brasileiro, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Comentários Facebook

Política Nacional

Celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo de invasão por hackers

Publicado

O grupo hacker preso na terça-feira, 23, atacou celulares do presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi transmitida pela Polícia Federal ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e já foi encaminhada ao presidente. Quatro pessoas presas sob suspeita de invasão de celular de autoridades estão custodiadas em Brasília.

Na nota, o Ministério da Justiça diz que, segundo a PF, “aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23)”.

“Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, acrescenta a nota – que não informa se foi extraído conteúdo de conversas de aparelhos do presidente Jair Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública foi, por questão de segurança nacional, informado pela Polícia Federal de que aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23). Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”.

Leia mais:  Bolsonaro vê 'circo armado' e diz que vai recorrer de decisão da Justiça sobre Adélio Bispo

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana