conecte-se conosco

Agro Paranaense

Quantidade de auditorias realizadas pelo CESB em áreas de soja aumenta 44%

Publicado

MassaNews

A quantidade de auditorias realizadas pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB) no Desafio de Máxima Produtividade de Soja aumentou 44% na edição 2018/2019, em relação ao volume da edição de 2017/2018. Os técnicos do CESB visitaram 863 propriedades de sojicultores em todo o Brasil na última edição do Desafio, contra 597, na anterior. O Comitê agora caminha para divulgar os campeões do Desafio deste ano, que serão revelados no dia 18 de junho, durante o Fórum Nacional de Máxima Produtividade.

Para a edição de 2018/2019, mais de 4 mil produtores e seus respectivos consultores se inscreveram no Desafio CESB de Máxima produtividade de Soja. As auditorias se iniciaram em janeiro de 2019, finalizando os trabalhos no fim de maio com o maior número de áreas auditadas já alcançado em todas as edições do concurso, mostrando o esforço do CESB na busca pelo entendimento dos fatores das altas produtividades do cultivo lembrando que por exemplo na safra de 2009/2010, foram realizadas 250 auditorias. Ao todo, em dez anos, o CESB realizou mais de três mil auditorias.

O coordenador técnico e de Pesquisa do CESB, João Pascoalino, avalia que esse número reflete o maior alcance que o Desafio de Máxima Produtividade de Soja vem demonstrando ao longo dos anos, com mais sojicultores aceitando se auto desafiar para produzir mais soja em uma mesma área, com sustentabilidade e rentabilidade. “Neste ano conseguimos uma abrangência maior em extensão territorial, atingindo 11,5% de todas as áreas plantadas de soja do Brasil. O CESB busca, por meio do Desafio, estimular o produtor a buscar novas técnicas que o permita alcançar altos níveis de produtividade sempre de forma sustentável, e isso tem sido bem aceito pela comunidade agrícola, com os produtores batendo recordes de produtividade”, destaca.

Leia mais:  Movimento de junho nos Portos do Paraná tem aumento de 15%

Autenticidade comprovada

As auditorias são realizadas desde 2015 por técnicos e agrônomos da empresa Somar, que atua na área de monitoria agrícola há mais de dez anos. Segundo o diretor da Somar, Juliano Nunes, todo auditor de campo passa por um treinamento exclusivo do CESB, para poder acompanhar todos os trabalhos que determinarão os campeões do Desafio CESB de Máxima Produtividade de Soja. As aferições são realizadas desde a colheita até o carregamento dos caminhões, para poder certificar que a pesagem está perfeitamente correta.

Nunes salienta que a importância da auditoria se dá por ser um documento que comprova as altas produtividades alcançadas pelos sojicultores, que são transformadas, posteriormente, em cases de sucesso. “Essas informações são difundidas no meio agrícola, de acordo com os princípios do CESB, que é produzir mais sem haver aumento de áreas cultivadas, pensando na sustentabilidade e garantindo a rentabilidade”, afirma.

Campeões

Os campeões da edição de 2018/2019 do Desafio CESB de Máxima Produtividade de Soja serão conhecidos no dia 18 de junho, em Londrina (PR). O anúncio será feito durante o Fórum Nacional de Máxima Produtividade da Soja, que acontece este ano em parceria com a COCAMAR – Cooperativa Agroindustrial e a SRP – Sociedade Rural do Paraná.

Os cases campeões dos vencedores da 11ª edição do Desafio serão expostos pelos consultores, membros e especialistas do CESB durante o Fórum, a fim de compartilhar informações sobre métodos e técnicas utilizados para produzir mais soja em uma mesma área.

Neste ano, o Fórum terá como convidado o palestrante Gustavo Spadotti, da base Territorial da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Em sua palestra, ele abordará técnicas que podem ser aplicadas por sojicultores brasileiros para melhorar a sua produtividade. “O evento será um meio de os produtores e especialistas da área agrícola realizarem um networking, além de promover uma preciosa troca de informações sobre a produção de soja no Brasil”, destaca o presidente do CESB, Leonardo Sologuren.

Leia mais:  Produtores do Paraná trabalham dia e noite na colheita de milho

Ele também lembra do momento difícil enfrentado nessa última safra, com veranicos sucessivos em algumas regiões, que causaram quebras na produção. “Tivemos condições climáticas totalmente diferentes do ano passado. Portanto temos a expectativa de ver o que os produtores fizeram para enfrentar esse momento de clima adverso e mesmo assim alcançar níveis avançados em produtividade”, relata.

Números recordes

O Fórum é realizado anualmente e tem por objetivo revelar os números recordes de alguns dos melhores sojicultores e consultores do Brasil, que ao longo de dez anos de história do Desafio demonstraram crescimentos em produtividade acima da média nacional. A produtividade média dos primeiros colocados das áreas avaliadas nesses dez anos variou de 77,8 a 109,4 sacas por hectare, com taxa de crescimento anual de aproximadamente 4,9%. Enquanto a média nacional, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apresentou variação de 43,8 a 56 sacas por hectare, crescendo ano a ano aproximadamente 3,5%.

O recorde atual foi conquistado com o produtor Marcos Seitz, de Guarapuava (PR), que alcançou a marca de 149,08 sacas de soja por hectare. Ele foi o campeão da edição de 2016/2017 do Desafio. O campeão da última edição (2017/2018) foi Gabriel Bonato, de Sarandi (RS), que atingiu 127,01 sacas de soja por hectare.

Fonte: Agrolink

Comentários Facebook

Agro Paranaense

Governo lança edital para compra de R$ 20 milhões em alimentos da agricultura familiar no Paraná

Publicado

Um edital para compra de R$ 20 milhões em alimentos da agricultura familiar no Paraná foi lançado na quarta-feira (22) pelo governo estadual. O limite será de até R$ 20 mil por agricultor em um ano, informou o governo.

A chamada pública de credenciamento do programa Compra Direta Paraná usará recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza.

Os alimentos, segundo o governo, serão destinados para restaurantes populares, cozinhas comunitárias, banco de alimentos e hospitais filantrópicos, entre outros.

Conforme o governo, os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) poderão disponibilizar os alimentos na forma de cestas básicas diretamente à população vulnerável.

Preços e prazos

O governo informou que o preço de referência para aquisição é o estabelecido pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura, sem necessidade de disputa pelo menor valor.

Para alimentos orgânicos haverá acréscimo de até 30%. As propostas podem ser apresentadas até às 17h de 27 de abril, e a divulgação dos fornecedores vencedores em cada um dos municípios será feita em 30 de abril, com um dia de prazo de recursos.

Leia mais:  Produtores de etanol dos EUA avaliam compras de milho brasileiro, diz associação americana

Na sequência, o projeto final de venda deverá ser assinado pelo presidente da organização e protocolado no núcleo regional correspondente até 5 de maio, para providências de contratação. O início da entrega dos produtos está previsto para ocorrer a partir de 18 de maio.

Sistema de compra direta

A Secretaria da Agricultura e a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) desenvolveram o Sistema Compra Direta Paraná, que possibilita a operacionalização de uma única chamada pública para aquisição de mais de 70 itens e atendimento a todas as entidades beneficiárias.

Segundo o governo, na plataforma será possível registrar todas as etapas do processo, que inclui cadastro dos agricultores, apresentação das propostas de fornecimento por associações e cooperativas da agricultura familiar, classificação das organizações, habilitação e controle da execução de cada um dos contratos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana