conecte-se conosco

Norte do Estado

Presos cavam buraco e tentam fugir em Mandaguari, diz polícia

Publicado

G1 PR

Duas semanas após ser separada de delegacia, a carceragem de Mandaguari, no norte do Paraná, registrou tentativas de fuga. Nesta sexta-feira (12), foram encontrados com os presos, uma broca e uma serra. Eles tinham cortado parte da grade de uma das celas.

A carceragem abriga 94 presos, sendo que o local foi projetado para 30. Os agentes penitenciários fotografaram o buraco que foi aberto no banheiro de uma das celas da carceragem de Mandaguari.

Atualmente, a administração da carceragem é compartilhada entre o Depen e a Polícia Civil, que garantem que mesmo com a mudança de endereço da delegacia, não houve diminuição na segurança.

A delegacia funciona em um prédio mais amplo, que foi alugado pela Secretaria de Segurança Pública, na Vila Bela, a cerca de três quilômetros da carceragem.

“É uma solicitação antiga nossa, tendo em vista que a delegacia, juntamente com a cadeia pública, tem inviabilizado o trabalho de investigação, que é a atividade da Polícia Civil. Outro problema é o número reduzido de servidores, já que is policiais estão envolvidos na guarda dos presos na sua maior parte do tempo”, explicou o delegado Zoroastro Nery.

Leia mais:  Cão farejador encontra droga escondida em tábuas de passar roupa dentro de ônibus, em Rolândia

O próximo passo da Polícia Civil de Mandaguari é tentar se desvincular totalmente da carceragem da cidade, passando a responsabilidade, exclusivamente, para o Depen.

O que dizem os citados

Por meio de nota, o Depen disse que assumiu integralmente 37 carceragens no estado, com cerca de seis mil presos e que, por enquanto, não há informações disso acontecer em Mandaguari.

Sobre a superlotação, o departamento disse que a transferência ou a retirada dos presos depende de autorização da Justiça, mas que tem pedido ao poder judiciário a revisão e análise dos processos. Ainda segundo o Depen, 13 obras de construção ou ampliação de unidades prisionais devem gerar 6,7 mil vagas.

Em relação à falta de servidores, o Governo anunciou a contratação, por meio de concurso público, de cerca de 1,6 mil, entre policiais civis e agentes de cadeia. A data da contratação ainda não foi anunciada.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Família afirma que foi agredida por vigilantes de rua em Londrina

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana