conecte-se conosco

Brasil

PREFEITO DE IPORÁ PEITA RONALDO CAIADO E AUTORIZA ABRIR O COMÉRCIO: “NÃO VOU ACEITAR ESSA DITADURA. QUE VENHAM ME PRENDER”

Publicado

NÃO VOU ACEITAR ESSA DITADURA. QUE VENHAM ME PRENDER”

A guerra esta declarada! O prefeito de Iporá, Naçoitan Leite (PSDB), autorizou o comércio da cidade a reabrir normalmente à partir de segunda-feira,06/04, contrariando o decreto do governador Ronaldo Caiado (DEM) que proibiu por mais 15 dias abertura do comércio de atividades não consideradas essenciais à vida.

Naçoitan Leite disse que Iporá não tem mais condições de ficar com o comércio fechado por mais 15 dias. Os estabelecimentos voltarão a abrir as portas e vão funcionar cumprindo exigências como distanciamento entre clientes e higienização reforçada nos locais. Aulas continuam suspensas e idosos e pessoas com doenças preexistentes devem continuar o isolamento social, conforme destacou o prefeito em entrevista ao site Mais Goiás.

“Eu não aceito prender trabalhador e comerciante. Tem que prender bandido. O povo só quer trabalhar. As pessoas de bem não podem ser presas porque vão voltar ao trabalho. Não vou aceitar essa ditadura. Que venham me prender”, disparou.

Para o prefeito de Iporá a única saída para que não haja uma quebradeira geral no município é a reabertura total do comércio.

Leia mais:  Ratinho Junior e outros 7 governadores não assinam carta em defesa da democracia

“O governador não atendeu o decreto do Governo Federal. Por que nós, prefeitos, temos que atender às determinações estaduais? Os municípios podem tomar suas próprias decisões, são os prefeitos quem sabem a real situação das cidades. Afirmo com tranquilidade que se o comércio continuar fechado tanto o município quanto os estabelecimentos vão quebrar”, comentou.

O prefeito de Iporá conta que a população da sua cidade está passando fome sem poder trabalhar para buscar o pão de cada dia

“Só essa semana entregamos mil cestas básicas porque o povo não tem o que comer. Na próxima semana vai ser 3 mil e depois 10 mil. As pessoas não querem presente, elas querem trabalhar”. Nós vamos respeitar o decreto até este sábado, dia 04. Fui um dos que respeitei, mas não dá para fazer isso por mais 15 dias. Vamos respeitar os cuidados para evitar o vírus, mas na segunda, 06/04, vamos voltar com a cabeça erguida”.

Lembrando que semana passada o prefeito de Acreúna, no sudoeste Goiano, tentou reabrir o comércio da cidade, mas foi contido depois que o Governo de Goiás mandou 30 viaturas da Polícia Militar para garantir o fechamento das empresas.

Leia mais:  Deltan pediu a colegas que ministro Dias Toffoli fosse investigado sigilosamente

Comentários Facebook

Brasil

PRF alerta que não procedem as informações das Redes Sociais que afirmam sobre as proibições das remoções no CTB

Publicado

A Lei 14.229/21 contemplou processos que já existiam em normativos internos, mantendo condicionantes para veículos prosseguirem viagem.

Redes Sociais informavam que eram proibidas remoções de veículos, mas não é verdade

Diante das alterações recentes no CTB – Código de Trânsito Brasileiro, a PRF – Polícia Rodoviária Federal esclarece que não procedem as informações difundidas nas redes sociais que afirmam sobre a proibição das remoções por agentes de trânsito.

Quanto à aplicação da medida administrativa de remoção do veículo, o texto trata da possibilidade do condutor flagrado com irregularidades que impunham a remoção, poder prosseguir com a viagem.

Mas é importante destacar que tais possibilidades preservaram condicionantes aos agentes de trânsito: oferecer condições de segurança para circulação e desde que não consiga sanar a irregularidade no local da infração.

O coordenador geral de Segurança Viária, o PRF inspetor André Luiz Azevedo, informou que na maioria dos casos em que veículos são flagrados com irregularidades há risco à segurança viária, com a necessidade de remoção.

Leia mais:  Lava Jato deflagra 62ª fase e tenta prender presidente do Grupo Petrópolis

André acrescenta que assegurar condições seguras do veículo para circular, visa a preservar a segurança do condutor também e demais usuários das rodovias, sendo dever primário do agente da fiscalização garantir essas condições para justificar a liberação.

Redação – Brasil do Trecho

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana