conecte-se conosco

Cidades

Polícia Civil descarta troca de corpos de bebês que foram sepultados, em Ponta Grossa

Publicado

Por G1 PR e RPC Ponta Grossa

A Polícia Civil descartou que corpos de bebês que foram sepultados em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, tenham sido trocados em um hospital da cidade. O caso é investigado desde maio após uma denúncia feita pela família de uma das crianças. O inquérito foi concluído nesta quarta-feira (17).

Segundo a mãe de um dos bebês, Fabiana Ferreira Lima, a filha dela morreu no dia 16 de maio após nascer prematura. De acordo com Fabiana, o hospital disse que o corpo da criança seria liberado para ser enterrado no dia seguinte à morte para que a família tivesse tempo de cuidar do sepultamento.

A mãe contou que o corpo que estava na maternidade era de outro bebê. De acordo com Fabiana, o corpo da criança era maior e a etiqueta que estava no pulso era diferente. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso após denúncia feita pela família.

Conforme a Polícia Civil, ao todo 15 pessoas foram ouvidas, entre familiares das crianças e funcionários do hospital, do serviço funerário e do cemitério.

A Polícia Civil informou que um exame de DNA comprovou que os bebês não foram trocados. Segundo delegado Maurício de Souza, houve um erro por parte de uma funcionária do hospital no momento de indicar a criança para que família se despedisse.

Leia mais:  Pescadores de Matinhos precisam de ajuda 2 tratores para puxar do mar 5 toneladas de peixes

Comentários Facebook

Cidades

Prefeito evangélico é alvo de macumba em Mato Grosso

Publicado

O prefeito Jeferson Ferreira Gomes (DEM), de Comodoro, extremo oeste de MT, que é evangélico, foi surpreendido por um “despacho espiritural” no cemitério da cidade. A informação é do site Olhar Direto.

Segundo a publicação, o despacho foi descoberto na primeira quinzena neste mês.

No local havia um papel com nome do prefeito em cruz, garrafa de cachaça e um sapo morto. Tudo junto e misturado. O “trabalho” foi descoberto por uma moradora que visitava o túmulo de parente.

O despacho estava na porta, com terra de cemitério sobre o nome.

Não se sabe por quais motivos, alguém deseja a morte do prefeito, que não comentou o assunto.

Mistério!

Comentários Facebook
Leia mais:  Professores e servidores da UEL decidem entrar em greve
Continue lendo

Mais Lidas da Semana