conecte-se conosco

Cidades

Ministério Público pede que Manvailer siga preso até julgamento da morte de advogada

Publicado

Redação Bem Paraná com assessoria

O Ministério Público do Paraná voltou a se manifestar, nesta terça-feira,9, pedindo a manutenção da prisão do biólogo Luis Felipe Manvailer e para que ele seja levado a júri popular. Manvailer é acusado de ter matado a esposa, a advogada Tatiane Spitzner, de 32 anos, em julho do ano passado, em Guarapuava, na região central do Estado. No documento, os promotores do caso, Pedro Henrique Brazão Papaiz e Dúnia Serpa Rampazzo afirmam que a prova técnica apresentada no decorrer da ação penal é forte e contundente e demonstra efetivamente que a morte de Tatiane Spitzner foi causada por esganadura provocada pelo réu.

O MP reforça que após o crime o acusado fugiu, demonstrando desrespeito pela vida da esposa. A defesa de Luis Felipe Manvailer alega que Tatiane morreu ao cair da sacada do apartamento onde o casal morava, no quarto andar de um prédio em Guarapuava.

As câmeras de segurança do prédio registraram diversas agressões, desde a chegada do casal na garagem até o elevador do prédio. Manvailer recolheu o corpo da advogada e o levou de volta ao apartamento, onde foi encontrado. Em sentença de pronúncia, a juíza Paola Mancini de Lima, da 2ª Vara Criminal de Guarapuava, já decidiu que o biólogo será levado ao Tribunal do Júri.

Leia mais:  Defensoria Pública da União pode deixar de atender no interior do Paraná no fim de julho

Manvailer será julgado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil, uso de meio cruel e feminicídio, além de fraude processual por ter retirado o corpo da vítima da calçada e limpado vestígios de sangue. A juíza arquivou a acusação de cárcere privado, por entender que não havia provas suficientes de que ele praticou este crime. Na sentença ela destacou que a decisão não representa um juízo de certeza sobre o crime, e sim de suspeita. Agora, caberá ao júri popular decidir se Manvailer é culpado ou não.

A data do julgamento ainda não foi marcada. Manvailer está preso preventivamente na Penitenciária Industrial de Guarapuava.

Comentários Facebook

Cidades

Prefeito evangélico é alvo de macumba em Mato Grosso

Publicado

O prefeito Jeferson Ferreira Gomes (DEM), de Comodoro, extremo oeste de MT, que é evangélico, foi surpreendido por um “despacho espiritural” no cemitério da cidade. A informação é do site Olhar Direto.

Segundo a publicação, o despacho foi descoberto na primeira quinzena neste mês.

No local havia um papel com nome do prefeito em cruz, garrafa de cachaça e um sapo morto. Tudo junto e misturado. O “trabalho” foi descoberto por uma moradora que visitava o túmulo de parente.

O despacho estava na porta, com terra de cemitério sobre o nome.

Não se sabe por quais motivos, alguém deseja a morte do prefeito, que não comentou o assunto.

Mistério!

Comentários Facebook
Leia mais:  Voluntários realizam Arraiá no Abrigos dos Idosos em Paranaguá
Continue lendo

Mais Lidas da Semana