conecte-se conosco

Política

Governo mantém suspense, mas deve parcelar reajuste de servidores em quatro anos

Publicado

Redação Bem Paraná

O governador Ratinho Júnior (PSD) recebeu, hoje, no Palácio Iguaçu, representantes de policiais civis, militares e demais servidores da área de segurança pública para tratar da data-base do reajuste salarial anual do funcionalismo público estadual. Apesar da expectativa, o governo, porém, não divulgou nenhuma proposta de reposição da inflação dos servidores do Executivo. A versão oficial do líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD), que participou da reunião, é de que a proposta será anunciada entre hoje à tarde e amanhã de manhã. Uma entrevista coletiva com Ratinho Jr foi convocada para amanhã, às 9 horas, no Palácio Iguaçu para tratar do assunto. O funcionalismo reivindica a reposição da inflação de abril de 2018 a maio de 2019, de 4,94%.

“O governo disse que vai dar uma resposta entre hoje à tarde e amanhã cedo especificamente sobre a data-base”, disse Bakri. “O governador foi claro, entre hoje à tarde e amanhã cedo ele está finalizando um pacote, e nesse pacote, envolve também além da data-base, a contratação de profissionais para a área de segurança”, afirmou o líder governista.

Leia mais:  Câmara aprova prioridade para pagamento com cartão-transporte nos ônibus de Curitiba

Extra-oficialmente, a informação corrente no Centro Cívico é de que o governo vai propor o pagamento parcelado da reposição de 4,94% nos próximos quatro anos.

A data-base do reajuste anual dos servidores vence em maio. Os funcionários do Executivo estão com os salários congelados desde 2016 e acumulam perdas de 17%. Inicialmente, o governo sinalizou que não haveria nenhum reajuste, alegando que os gastos com pessoal já estão no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Após os protestos da categoria no dia 29 de abril, o Executivo concordou em montar uma comissão com representantes dos sindicatos e parlamentares para discutir o assunto. Depois de oito rodadas, porém, as negociações não avançaram.

Ratinho Jr chegou a afirmar que não haveria nenhum reajuste, mas após uma carreata de policiais ao Palácio Iguaçu, no último dia 24, o governo pediu uma semana para apresentar uma proposta. Por isso, a categoria cancelou a “operação padrão” que estava prevista para ser iniciada nas delegacias, em apoio à greve, deflagrada pelas demais categorias no dia 25.

Leia mais:  PGR questiona vinculação de salários de deputados do PR

Na reunião de hoje, o governador não recebeu representantes das demais categorias, mantendo a posição de não reabrir negociações com os grevistas.

Comentários Facebook

Política

Eleitores têm até 6 de maio para procurar cartório e regularizar situação eleitoral

Publicado

Para votar nas Eleições Municipais de 2020, os eleitores devem estar atentos ao prazo de 6 de maio, que é o último dia para regularizar a situação na Justiça Eleitoral. A partir do dia 7 de maio até o final da eleição, o Cadastro Eleitoral ficará fechado – período em que nenhuma alteração poderá ser efetuada no registro do eleitor –, sendo permitida somente a emissão da segunda via do título. Esse prazo é importante para que a Justiça Eleitoral tenha um retrato fiel do eleitorado que participará do pleito.
Diversos serviços podem ser solicitados diretamente nos cartórios eleitorais, sem a necessidade de intermediação de terceiros. São eles: emissão do título de eleitor, transferência de domicílio eleitoral, revisão dos dados e cadastramento biométrico, entre outros. Todos esses serviços são gratuitos.

Dia 6 de maio também é a data-limite para o cidadão procurar o cartório para pedir a mudança de domicílio eleitoral e regularizar sua situação, estando apto a exercer o direito de voto.

É possível verificar a regularidade do título acessando o Portal do TSE. Basta clicar em Serviços ao Eleitor e, depois, em Situação Eleitoral. As informações necessárias são nome completo e data de nascimento.

Leia mais:  Governo repassa R$ 40 milhões para transporte coletivo de Curitiba, e Urbs garante passagem a R$ 4,50 até 2020

Fonte: Blog Politica em Debate

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana