conecte-se conosco

Curitiba

Em Curitiba, 36 bairros não tiveram homicídios dolosos no primeiro semestre deste ano

Publicado

O primeiro semestre registrou uma redução de 20% no índice de homicídios dolosos em todo o Paraná, se comparado com o mesmo período de 2018, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira (7) pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp-PR). Assim como o Paraná, que Curitiba acompanhou a tendência de queda do Estado e registrou 20,5% menos casos. De janeiro a junho de 2019 foram 120 homicídios, contra 151 no mesmo período do ano anterior. O mais interessante é que 36 dos 75 bairros da capital não registraram nenhum homicídio nos primeiros seis meses deste ano.

Os bairros que zeraram o índice estão distribuídos por toda a cidade. Entre eles estão Abranches, Ahú, Batel, São João, Boa Vista, Capão da Imbuia, Guabirotuba, Jardim Botânico, Mercês, Santa Felicidade, Tingui (veja na lista completa). O Centro da Capital tambémnão registrou nenhuma ocorrência de homicídio doloso, bem diferente do ano anterior, quando houve oito episódios. O bairro campeão de homicídios foi a Cidade Industrial, com 11 mortes, mas mesmo assim, o número foi bem menor que o registrado no ano passado, quando chegou a 29. O segundo lugar no ranking de mortes é dividido entre Sítio Cercado e o Tatuquara, com nove mortes cada um.

Leia mais:  Um em cada cinco curitibanos admite usar o celular enquanto dirige

Segundo o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, a queda nos índices de criminalidade é resultado de um conjunto de esforços. “Estamos trabalhando para combater o crime em todas as suas modalidades. O trabalho de inteligência, integração e planejamento de ações é constante para fornecer maior segurança para todos os paranaenses. E isso se reflete nas estatísticas de homicídio, furto e roubo”, afirma. Marinho atribuiu a diminuição dos números à integração entre as forças policiais, ao patrulhamento preventivo e ostensivo, e às investigações mais ágeis da polícia judiciária, que prendem criminosos e acabam por inibir novos crimes.

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Feiras de Inverno em praças no Centro de Curitiba reúnem mais de 70 barracas com artesanato e gastronomia

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana