conecte-se conosco

Curitiba

Em Curitiba, 36 bairros não tiveram homicídios dolosos no primeiro semestre deste ano

Publicado

O primeiro semestre registrou uma redução de 20% no índice de homicídios dolosos em todo o Paraná, se comparado com o mesmo período de 2018, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira (7) pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp-PR). Assim como o Paraná, que Curitiba acompanhou a tendência de queda do Estado e registrou 20,5% menos casos. De janeiro a junho de 2019 foram 120 homicídios, contra 151 no mesmo período do ano anterior. O mais interessante é que 36 dos 75 bairros da capital não registraram nenhum homicídio nos primeiros seis meses deste ano.

Os bairros que zeraram o índice estão distribuídos por toda a cidade. Entre eles estão Abranches, Ahú, Batel, São João, Boa Vista, Capão da Imbuia, Guabirotuba, Jardim Botânico, Mercês, Santa Felicidade, Tingui (veja na lista completa). O Centro da Capital tambémnão registrou nenhuma ocorrência de homicídio doloso, bem diferente do ano anterior, quando houve oito episódios. O bairro campeão de homicídios foi a Cidade Industrial, com 11 mortes, mas mesmo assim, o número foi bem menor que o registrado no ano passado, quando chegou a 29. O segundo lugar no ranking de mortes é dividido entre Sítio Cercado e o Tatuquara, com nove mortes cada um.

Leia mais:  Cidade da Grande Curitiba ganha novo CMEI, com capacidade pra 180 crianças

Segundo o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, a queda nos índices de criminalidade é resultado de um conjunto de esforços. “Estamos trabalhando para combater o crime em todas as suas modalidades. O trabalho de inteligência, integração e planejamento de ações é constante para fornecer maior segurança para todos os paranaenses. E isso se reflete nas estatísticas de homicídio, furto e roubo”, afirma. Marinho atribuiu a diminuição dos números à integração entre as forças policiais, ao patrulhamento preventivo e ostensivo, e às investigações mais ágeis da polícia judiciária, que prendem criminosos e acabam por inibir novos crimes.

Comentários Facebook

Curitiba

Defensoria Pública do Paraná emite recomendação aos postos de combustíveis sobre reajuste abusivo

Publicado

O Núcleo de Defesa do Consumidor (NUDECON) da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) emitiu, nesta segunda-feira (14), uma Recomendação à entidade que representa os donos de postos de combustíveis do Paraná, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Derivados de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná (Paranapetro).

O objetivo, segundo o Coordenador do Núcleo, Defensor Público Erick Lé Palazzi Ferreira, é coibir o abuso quando a Petrobrás anunciar reajustes. “O que se viu em vários casos na última quinta-feira foi uma prática abusiva, uma elevação injustificada dos preços”, explica o Defensor.

De acordo com ele, a Recomendação pretende barrar a prática de repassar o reajuste com produto comprado por preço velho. “Antes de ter sido repassado o aumento, os postos já estavam aplicando. O que fizeram foi pegar um produto mais barato e colocar o preço exorbitante”.

Segundo a Recomendação, os varejistas de combustíveis devem se abster de aumentar os preços antes da existência real de reajuste das distribuidoras. “Caso haja reclamações e comprovação sobre aumento excessivo de combustíveis pelos postos, o Nudecon adotará as medidas judiciais cabíveis, individuais ou coletivas, para areparação de eventuais danos”, afirma a Recomendação.

Leia mais:  Restaurantes e lanchonetes devem abrir até às 22 horas em Curitiba

Na semana passada, a Petrobrás anunciou reajuste dos combustíveis. De acordo com a empresa, o aumento seria de 18,77% para a gasolina, 24,9% para o diesel e 16% para o gás de cozinha.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana