conecte-se conosco

Política Nacional

Doria: Sem estados e municípios, próximo presidente terá de fazer nova Previdência

Publicado

Por Andréia Sadi - G1

O governador de São Paulo, João Doria(PSDB), disse ao blog nesta terça-feira (25) que vai “trabalhar até o fim” para incluir novamente estados e municípios na proposta da reforma da Previdência que está em discussão em comissão especial da Câmara dos Deputados.

Doria afirma que, sem os itens, o próximo presidente da República terá de “duelar” com o Congresso para aprovar uma nova Previdência.

“Com estados e municípios, a reforma é feita para 20 anos. Sem estados e municípios, a reforma da Previdência é feita para 5 anos. Ou seja, o próximo presidente da República terá de duelar com o Congresso para fazer uma nova reforma da Previdência complementar – e isso não é bom”, declarou o governador.

O governador disse que tem conversado com o relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), para garantir a inclusão no texto de estados e municípios até esta quarta-feira (26), quando está prevista a votação da proposta na comissão.

Doria afirmou que defende a reinclusão na proposta “não por São Paulo”, que “não precisa” e já “fez a sua reforma da Previdência” – “mas pelo Brasil”.

Leia mais:  Bolsonaro diz que Moro faz parte da história do País e critica invasão de celular

Segundo o governador, se for necessário, São Paulo tem apoio na Assembleia Legislativa paulista para fazer uma nova reforma no estado, como um plano B.

“Mas agora estou pensando em um plano B de Brasil, não será bom para o país aprovar a reforma sem estados e municípios porque diminui a força e percepção da proposta, inclusive perante o investidor estrangeiro.”

2022

A frase de Doria de que trabalha “pelo Brasil” é uma nova resposta ao presidente Bolsonaro que, nesta segunda-feira (24), aproveitou uma entrevista sobre a transferência da Formula 1 de São Paulo para o Rio de Janeiro para provocar Doria sobre as próximas eleições presidenciais.

Perguntado se Doria ficaria chateado com a mudança da Formula 1, Bolsonaro respondeu que, pelo que a imprensa vinha publicando, Doria é candidato à Presidência em 2022. Por isso, para o presidente, o governador de São Paulo precisava pensar no Brasil e não no seu estado.

Em resposta, ontem, Doria disse ao blog que “se tinha alguém que pensava no Brasil, era ele”. Doria afirmou que, atualmente, trabalha pela reinclusão de estados e municípios na reforma da previdência não por São Paulo, mas pelo Brasil.

Leia mais:  'Ônus' será de estados e municípios se não forem incluídos na Previdência, diz porta-voz

Comentários Facebook

Política Nacional

Celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo de invasão por hackers

Publicado

O grupo hacker preso na terça-feira, 23, atacou celulares do presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi transmitida pela Polícia Federal ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e já foi encaminhada ao presidente. Quatro pessoas presas sob suspeita de invasão de celular de autoridades estão custodiadas em Brasília.

Na nota, o Ministério da Justiça diz que, segundo a PF, “aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23)”.

“Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, acrescenta a nota – que não informa se foi extraído conteúdo de conversas de aparelhos do presidente Jair Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública foi, por questão de segurança nacional, informado pela Polícia Federal de que aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23). Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”.

Leia mais:  Em meio ao caso Moro, Senado vota projeto contra abuso de autoridade

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana