conecte-se conosco

Curitiba

Curitiba terá o primeiro BRT em linha circular do mundo

Publicado

SMCS

Curitiba deverá ser a primeira cidade do mundo a contar com um sistema de BRT (Bus Rapid Transit) operando em uma linha circular.

Esta particularidade da linha Inter 2, objeto do Programa de Mobilidade Sustentável a ser financiado com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), foi destacada pelo chefe da missão oficial do banco, Pablo Guerrero, em encontro com o prefeito Rafael Greca, nesta quarta-feira (3/7).

Guerrero está na cidade acompanhado do também especialista em transporte do BID, Elías Rubinstein, no segundo e último dia da missão de identificação do programa de modernização do transporte público.

A evolução do Inter 2 contará com R$ 534 milhões em investimentos, dos quais R$ 427,2 milhões com recursos do Banco Interamericano e contrapartida da Prefeitura de R$ 106,8 milhões. Curitiba já obteve a aprovação da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) do Ministério da Economia para a obtenção do empréstimo.

“Vi o entusiasmo dos técnicos do BID com o projeto consistente que o Ippuc está apresentando. É a ideia do primeiro anel de BRT no mundo em faixas exclusivas”, destacou Greca.

Leia mais:  Onda de frio chega a Curitiba com geada no fim de semana

O Inter 2 transporta 91 mil passageiros por dia em um itinerário circular de 38 quilômetros de extensão que passa por 28 bairros onde se concentram 580 mil habitantes.

O prefeito lembrou que existem cerca de 250 BRTs funcionando mundo afora, todos operando em eixos de transporte, nenhum em anel.

De acordo com Greca, o chefe da missão do BID destacou a possibilidade de potencializar o financiamento para multiplicar a eficiência energética do projeto. “Será, nas palavras dele, o transporte para os ‘millennials’, piás e meninas que nasceram depois do ano 2000, chamados à cidadania com a ideia da nova energia, da sustentabilidade e da multimodalidade do transporte público”, contou o prefeito.

O Programa de Mobilidade Sustentável de Curitiba prevê, além da mudança progressiva no padrão energético dos ônibus, a integração com todos os modais existentes.

A meta é ter em 2024 com um modelo de reestruturação do sistema de mobilidade para chegar a 2035 com emissão neutra de carbono.

No encontro, o prefeito foi acompanhado do presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur; do assessor da presidência do instituto, Ricardo Bindo; dos arquitetos da Coordenação do Transporte, Olga Prestes e Fabiano Losso; dos integrantes da Unidade Técnica de Gerenciamento (UTAG) do Ippuc, Paulo Socher e Marcio Teixeira; e do assessor de Assuntos Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zanin Feijó.

Leia mais:  Polícia procura serial killer em Curitiba: homem é investigado por 6 homicídios

Visita a campo

Na manhã desta quarta, os especialistas do BID visitaram parte do itinerário do Inter 2, em especial a estação Santa Quitéria, na Avenida Arthur Bernardes, que será transformada num terminal de integração. Naquela estação, o Inter 2 circula nos dois sentidos (Terminal Campina do Siqueira e Terminal Portão) e se integra às linhas Capão Raso/Campinha do Siqueira, Caiuá/Cachoeira, Guadalupe/Fazendinha, sentido Terminal Fazendinha, além da linha Vila Velha/Buriti, que conta com integração temporal.

Eles também estiveram no Terminal Campina do Siqueira, que será reconstruído, e na estação-tubo Mercês.

À tarde, prosseguiram, no Ippuc, em reuniões técnicas de encerramento desta primeira missão. Uma nova missão do banco está prevista para o dia 15 deste mês.

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Campanha arrecada fundos para ajudar crianças em Curitiba

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana