conecte-se conosco

Paraná

Caso Daniel: STJ aceita pedido de habeas corpus de Allana Brittes

Publicado

A filha de Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel Correia Freitas, Allana Brittes, teve um pedido de habeas corpus aceito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), na tarde desta terça-feira (6).

A jovem é ré no processo e está presa em regime fechado desde 1º de novembro do ano passado.

A decisão foi unânime dos cinco ministros da 6ª Turma, segundo o STJ. Até a publicação da reportagem, a defesa não soube informar se Allana deixa a prisão ainda nesta terça.

Ela está detida na Penitenciária Feminina de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, na mesma cela em que a mãe, Cristiana Brittes.

Allana terá que cumprir medidas cautelares como comparecimento periódico em juízo, proibição de acesso a alguns lugares, não pode manter contato com os réus e investigados do processo e não pode se ausentar da comarca onde reside e do país de origem.

O crime ocorreu no dia 27 de outubro. O jogador foi encontrado morto na área rural de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, com sinais de tortura. O crime aconteceu depois da festa de 18 anos de Allana em uma casa noturna de Curitiba.

Outras cinco pessoas, incluindo o pai e a mãe dela, Cristiana Brittes, também estão presas. Evellyn Perusso, acusada de falso testemunho e denunciação caluniosa, é a única que responde ao processo em liberdade.

Leia mais:  Em dois dias, PRF flagra 188 ultrapassagens proibidas no Paraná

Segundo a investigação, Daniel tirou fotos ao lado da esposa do empresário, no quarto do casal, antes do crime. De acordo com a Polícia Civil e o Ministério Público do Paraná (MP-PR), não houve tentativa de estupro.

Lucas Stumpf, conhecido como Lucas Mineiro, que é considerado pela polícia a principal testemunha do caso, disse que Allana mandou mensagens para ele insistindo por um encontro com as pessoas que estavam na festa na casa da família no dia seguinte ao crime.

Segundo a polícia, Edison Brittes, reuniu os amigos da filha para combinar uma versão sobre a morte do jogador. O encontro ocorreu em um shopping, em São José dos Pinhais.

Nas mensagens, Allana insiste para que o encontro com Lucas e outras duas testemunhas aconteça, chama o rapaz para uma nova festa e ainda diz que está “bem” no dia seguinte à morte do jogador.

Horas depois da morte do atleta, Allana tentou ligar para Lucas. Minutos depois, os dois trocaram mensagens.

Leia mais:  Deputado Romanelli, o “Posto Ipiranga” do Centro Cívico

Daniel foi encontrado morto na manhã do dia 27 de outubro e as mensagens foram trocadas durante a noite.

Lucas Mineiro relembrou os momentos à época do crime em uma entrevista exclusiva à RPC. Ele disse que viu Edison Brittes enforcando o jogador em cima da cama do casal. Confira a entrevista completa.

O que dizem as defesas

O advogado Claudio Dalledone, que defende a família Brittes, disse que a concessão da liberdade de Alana Brittes foi recebida com serenidade pela defesa, que sempre acreditou que na justiça.

“O reconhecimento deste constrangimento ilegal é o primeiro passo para começar a desfazer os factoides criados no caso. Aos poucos tudo será esclarecido, sem generalizações”, disse a defesa.

O advogado da família de Daniel, Nilton Ribeiro, disse que a decisão não causou surpresa à assistência de acusação.

“Uma vez que a 6ª Turma da referida corte, apenas seguiu a sua jurisprudência. Ademais, não se adentrou ao mérito do caso, ou seja, nada foi alterado com relação à acusação formal, sendo que a mesma continua respondendo pelos crimes pelos quais foi denunciada”, declarou Ribeiro.

Comentários Facebook

Paraná

Paraná se aproxima dos 470 mil casos de Covid-19 e mortes já são 8.676

Publicado

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (10) 1.625 casos confirmados e 7 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 469.538 casos confirmados e 8.676 mortos em decorrência da doença.

Os casos deste informe referem-se à pacientes que estiveram ou estão com a doença entre 24 de outubro de 2020 e 8 de janeiro de 2021. Os casos por data de confirmação do diagnóstico, ou encerramento (fechamento) do caso no sistema estão distribuídos nos meses: janeiro de 2021 são 1.541, os demais de 2020 nos meses de outubro 1, novembro 24 e dezembro 59. O detalhamento completo está no arquivo csv.

INTERNADOS – 1.350 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.075 pacientes em leitos SUS (585 em UTI e 490 em leitos clínicos/enfermaria) e 275 em leitos da rede particular (140 em UTI e 135 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.251 pacientes internados, 458 em leitos UTI e 793 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Leia mais:  Embora não falte sangue, ainda faltam cerca de 100 mil doadores no Paraná

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 7 pacientes. São 4 mulheres e 3 homens, com idades que variam de 40 a 90 anos. Os óbitos ocorreram nos dias 8 e 9 de janeiro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em: Ponta Grossa (3), Arapongas (2). A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que morava em cada um dos seguintes municípios: Ampére e Santa Mariana.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 3.741 casos de residentes de fora, 73 pessoas foram a óbito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana