conecte-se conosco

Curitiba

“Até quando vão fazer isso com a gente?”, moradores reclamam da falta de água na região de Curitiba

Publicado

A estiagem no Paraná, que tem sido uma das piores já registrada em décadas, tem feito a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) a adotar a medidas de rodízio de abastecimento de água em vários bairros da região sul Curitiba e cidades da região metropolitana. E, apesar da Sanepar informar que o desabastecimento programado dura até 24 horas, moradores de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana e também do Tatuquara, em Curitiba, reclamam que a falta de água dura quatro dias.

A Sanepar divulgou no último domingo (26) que a estiagem iria afetar o abastecimento de 17 bairros em Fazenda Rio Grande. No mesmo informe, a companhia informou que a normalização do sistema estava prevista para o início da noite de segunda-feira (27), mas isso não aconteceu. Ainda falta água para os moradores nesta quarta-feira (29). E há quatro dias sem água em casa, muitos estão se deslocando para casa de parentes e amigos em Curitiba para fazer a higiene pessoal.

“Tem pessoas que eu conheço que foram para a casa dos pais, tem uma amiga que está tomando banho na casa dos patrões dela, tem pessoas que têm acesso a Curitiba, tem carro, estão indo para Curitiba. Estamos desesperados. Até quando eles vão fazer isso com a gente?”, desabafa a estudante Gleice Fernandes Aguiar, de 31 anos.

Diante da falta de água, quem não pode ir até Curitiba está se virando como pode. Moradores estão comprando água mineral para suprir as necessidades básicas. “Os que podem comprar estão comprando, né. Mas não são todos que têm condições de comprar”, lamenta Gleice. A estudante também é síndica do prédio onde mora e tem ouvido o desespero de moradores. Muitos estão sem tomar banho e evitando de cozinhar.

Comentários Facebook

Curitiba

Covid-19: remessa comCovid-19: remessa com 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná

Publicado

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionadA Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionada ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.a ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.

As vacinas destinadas às crianças chegaram ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 23h10, e nos próximos dias serão distribuídas para as 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Leia mais:  Locais de uso coletivo serão obrigados a fazer medição de temperatura no Paraná; falta sanção do governador

“Estamos só no começo ainda na vacinação deste novo público. Receberemos e vamos distribuir muitos lotes como este, para que, desta forma, consigamos atingir as mais de 1 milhão de crianças do Estado. Estou confiante de que, assim como foi com os adolescentes, teremos bastante comparecimento aos postos de vacinação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A imunização das crianças depende de consentimento dos pais ou responsáveis. Caso eles não estejam presentes no momento da vacinação, é necessário entregar uma autorização por escrito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana