conecte-se conosco

Mundo

UE não vai reabrir acordo do Brexit com próximo líder britânico

Publicado

Por France Presse

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reiterou nesta terça-feira (11) que a União Europeia (UE) não vai renegociar o acordo do Brexit, concluído com Londres em novembro passado, com o próximo primeiro-ministro britânico.

“Não haverá renegociação sobre o conteúdo do acordo de saída”, assegurou o chefe do Executivo da UE em um evento organizado pelo meio de comunicação Politico Europe.

Depois de fracassar três vezes em sua tentativa de fazer o Parlamento britânico aprovar o acordo alcançado em novembro com Bruxelas, a primeira-ministra Theresa May anunciou sua renúncia. Agora, dez membros de seu Partido Conservador disputam sua sucessão.

Um deles, o chanceler Jeremy Hunt, expressou confiança no fim de semana de que os europeus “estariam dispostos a renegociar”. Enquanto o favorito, seu predecessor Boris Johnson, chegou a ameaçar não pagar à UE a conta do Brexit.

“Este não é um tratado entre Theresa May e Juncker. Este é um tratado entre o Reino Unido e a UE, que deve ser respeitado por quem quer que seja o próximo primeiro-ministro britânico”, disse o chefe da Comissão.

Juncker manifestou, no entanto, a disposição da UE de prestar “esclarecimentos, precisões e acréscimos” à Declaração Política, um texto que acompanha o acordo de divórcio e que é a base para as negociações sobre as futuras relações entre as duas partes.

Leia mais:  Naufrágio de ferry na Indonésia deixa ao menos 17 mortos

Reino Unido deveria ter deixado a UE em 29 de março, conforme acordado pelos britânicos em um referendo em junho de 2016, mas a partida foi adiada para 31 de outubro pela falta de acordo de Westminster.

Comentários Facebook

Mundo

Índices da China fecham em máxima de mais de 2 meses por alívio com trégua comercial

Publicado

Por Reuters

 O mercado acionário chinês terminou no nível mais alto em mais de dois meses nesta segunda-feira (1), impulsionado pelas expectativas de um fim na guerra comercial entre Estados Unidos e China depois que os países concordaram em retomar as negociações e que os EUA disseram que irão adiar mais tarifas.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, terminou com alta de 2,88%, enquanto o índice de Xangai subiu 2,22%.

Embora não tenha havido sinais de progresso em importantes pontos da disputa comercial, a promessa de mais negociações e as concessões oferecidas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, incluindo um alívio das restrições à Huawei, sustentou os mercados.

“Acreditamos que os resultados alcançados na cúpula do G20 ajudarão a melhorar o sentimento e entusiasmo do investidor, e esperamos que a recuperação do mercado continue”, disse Yan Xiang, analista do Guosen Securities.

Embora Trump tenha dito que as negociações estão “de volta aos trilhos”, as tarifas atuais continuam em vigor e a reunião com o presidente chinês, Xi Jinping, não resultou em nenhum prazo para um avanço no acordo.

Leia mais:  Índices da China fecham em máxima de mais de 2 meses por alívio com trégua comercial

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 2,13%, a 21.729 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG permaneceu fechado. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 2,22%, a 3.044 pontos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 2,88%, a 3.935 pontos. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,04%, a 2.129 pontos.

Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,53%, a 10.895 pontos. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 1,52%, a 3.372 pontos. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,44%, a 6.648 pontos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana