conecte-se conosco

Curitiba

Passeio gratuito em família! Mananciais da Serra abrem todos os finais de semana em janeiro

Publicado

Que tal um passeio em família, em um local com fauna e flora riquíssimos e o melhor de tudo: gratuito? Assim é o Manancial da Serra, um verdadeiro museu a céu aberto que estará disponível para visitação durante todos os finais de semana de janeiro.

Localizado dentro do Parque Estadual Pico do Marumbi, em e distante apenas 40 quilômetros de Curitiba, o parque tem trilhas que podem ser feiras caminhando ou de bicicleta, além de exposições e contato direto com a natureza.

Nas trilhas do Carvalhinho e do Santuário São Francisco, o visitante conta com 500 metros de percurso cada, pela Trilha do Salto, de 1 km, rumo à Trilha da Chaminé, com 1,5 km de extensão e, por fim, a Estrada do Carvalho, com percurso de 2,5 km. As caminhadas têm duração mínima de uma hora, entre ida e volta.

Atenção!

Recomenda-se para quem for ao local a utilização de roupas e calçados confortáveis, repelente, proteção para sol ou chuva, já que os passeios ocorrem mesmo com chuva. É aconselhável levar máquina fotográfica e lanche. Na entrada há espaço para estacionamento de carros e é preciso fazer um breve cadastro, com apresentação de documento de identificação pessoal. A visitação é gratuita e aberta a toda população, mas é proibido entrada de animais domésticos, deixar lixo, nadar, pescar, caçar ou retirar animais e plantas. Crianças devem estar acompanhadas dos pais ou responsáveis.

Leia mais:  Homem e mulher são presos suspeitos de envolvimento na morte de policial civil, em Curitiba

Mas o que é o Manancial da Serra?

Nos mananciais ficam os primeiros reservatórios que abastecem Curitiba desde o começo do século passado. Destes locais saem mais da metade da água que é consumida em Curitiba e região metropolitana. A água que dali sai tem qualidade protegida por uma legislação de proteção de proteção da Mata Atlântica.

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Em sete meses, polícia elucida 57% dos homicídios registrados em Curitiba

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana