conecte-se conosco

Curitiba

Paraná registra saldo negativo de empregos formais e fecha 23,8 mil vagas em maio

Publicado

O Paraná registrou saldo negativo de empregos com carteira assinada pelo terceiro mês consecutivo, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério da Economia nesta segunda-feira (29). Em maio, 23,8 mil vagas com carteira assinada foram fechadas, no estado.

Desde o início do ano, o Paraná fechou 47.696 postos de trabalho no mercado formal. O saldo do Caged leva em consideração a diferença entre demissões e contratações de trabalhadores em regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A maior queda até então, em 2020, foi registrada em abril, quando o estado perdeu 57 mil vagas com carteira assinada. Veja no gráfico abaixo.

Geração de empregos no Paraná em 2020
Estado encerrou primeiro quadrimestre com saldo negativo
17.91917.91928.83528.835-12.610-12.610-57.984-57.984-23.856-23.856janeirofevereiromarçoabrilmaio-80k-60k-40k-20k020k40k
Fonte: Ministério da Economia

Segundo o Ministério da Economia, 55.823 pessoas foram contratadas em maio. Por outro lado, o estado registrou 79.679 demissões.

Com exceção do Acre, todas as unidades federativas registraram saldo negativo em maio, de acordo com o Caged. Em todo o Brasil, quase 332 mil vagas de trabalho foram fechadas.

Leia mais:  Prefeitura cria Vale Alimentar e estende benefício a 17 mil estudantes carentes

No ranking nacional, o Paraná apresentou o quinto pior desempenho no mês, sendo melhor que Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Setores

Assim como em abril, o setor de Serviços voltou a apresentar o pior resultado entre os setores da economia, com o fechamento de 11.380 postos de trabalho com carteira assinada, no Paraná, segundo o Caged.

Dentro dos Serviços, estabelecimentos da área da alojamento e alimentação sofreram a maior redução de empregos, com o fechamento de 3.754 vagas.

O setor da Construção Civil foi o único com saldo positivo, com 1.489 novos empregos, conforme o Caged. Acompanhe abaixo o desempenho por setor:

  • Serviços: -11.380
  • Indústria: -6.999
  • Comércio: -6.625
  • Agropecuária: -341
  • Construção Civil: +1.489

Cidades

Entre os municípios paranaenses, 105 cidades registraram saldo negativo de vagas, em maio. Em 24, o saldo se manteve estável. No entanto, em 270 municípios houve mais demissões do que contratações.

Os melhores resultados foram registrados em Matelândia, Rio Negro e Ubiratã. Por outro lado, Curitiba, Londrina e São José dos Pinhais tiveram os piores desempenhos, segundo o Ministério da Economia. Confira na lista a seguir:

Leia mais:  Após ‘acidente’, casal de turistas vira refém de bandidos e passa por momentos de tensão

Cidades que mais geraram empregos formais em maio

  1. Matelândia: 148
  2. Rio Negro: 129
  3. Ubiratã: 104
  4. Palotina: 102
  5. Cafelândia: 99

Cidades que mais fecharam postos de trabalho em maio

  1. Curitiba: -8.088
  2. Londrina: -1.708
  3. São Jose dos Pinhais: -1.620
  4. Maringá: -1.609
  5. Foz do Iguaçu: -1.330

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Vigilância sanitária irá fiscalizar uso de máscaras no Paraná

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana