conecte-se conosco

Curitiba

Parte dos equipamentos das obras de revitalização da orla já estão em Matinhos

Publicado

Os primeiros tubos que serão utilizados nas obras que aumentarão a faixa de areia já chegaram ao município de Matinhos, no Litoral do Paraná. O transporte aconteceu neste final de semana e nesta segunda-feira (14) o terreno onde ficará o canteiro de obras será apresentado por autoridades do Estado e representantes do Consórcio Sambaqui, que venceu a licitação pública, à sociedade local.

O momento é de preparação do canteiro de obras e contratação dos profissionais que irão trabalhar no local – fase conhecida como “mobilização”. O consórcio também está estruturando o escritório e o cronograma de obras, que ainda pode sofrer alterações. De acordo com a estimativa inicial, a dragagem, que utilizará esses tubos, deve começar a ser realizada no mês de julho, com duração de aproximadamente 12 semanas.

“É uma obra emblemática e que finalmente começa a fase de mobilização. Estamos animados porque teremos uma nova Matinhos daqui a alguns anos, mais moderna e com mais segurança contra as ressacas”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“A chegada dos primeiros equipamentos é um marco para essa obra que irá mudar a história do litoral paranaense. O início da dragagem em si depende de toda essa estruturação, mas já os trabalhos para isso já estão sendo realizados”, completa o secretário Márcio Nunes, de Desenvolvimento Sustentável e Turismo.

Leia mais:  Paraná inicia estratégia de testagem em massa para combater a Covid-19

Fazem parte dos preparativos da dragagem a chegada dos tubos de aço – cada um tem 12 metros de comprimento e pesa 12 toneladas; a soldagem desses tubos; o transporte para a praia e a conexão em um grande duto de 3 quilômetros. Também nessa fase ocorre a chegada de tratores, escavadeira e rebocador, para que os tubos sejam transportados ao mar. A dragagem levará para a praia um total de 2,7 milhões de metros cúbicos de areia ao longo de 6,3 quilômetros (do Morro do Boi até o Balneário Flórida).

Comentários Facebook

Curitiba

Crise de abastecimento de remédios chega aos postos de saúde no Paraná

Publicado

A crise de abastecimento de remédio não só continua nas farmácias como já afeta os postos de saúde gerenciados pelas Prefeituras dos municípios do Paraná. Um ofício publicado no dia 22 de junho pelo Consórcio Paraná Saúde, que atua na aquisição de medicamentos para 398 municípios paranaenses, alertou sobre os medicamentos que estarão em falta para os próximos lotes de abastecimento.

Entre os remédios que podem faltar estão alguns essenciais para o tratamento de síndromes respiratórias, como Amoxilina + Clavunalato e Dipirona. Em pelo menos cinco prefeituras, também há falta de Tamiflu, antiviral para pacientes com complicações do vírus Influenza.

Segundo o consórcio, o problema se agravou nas últimas semanas, devido ao avanço da pandemia de coronavírus, ao aumento dos casos de doenças respiratórias em crianças, ao cenário de epidemias de dengue em várias regiões do Estado, e ainda pela falta de princípios ativos para a produção de diversos medicamentos.

Os remédios em falta, segundo o Consórcio Paraná Saúde, são: Amoxicilina + Clavulanato (50 + 12,5 mg/ml – suspensão oral), Dipirona Sódica – comprimido, Dipirona Sódica – solução injetável, Gentamicina 5 mg/ml – solução oftálmica e Hipromelose – 5 mg/ml – solução oftálmica.

Leia mais:  Curitiba é escolhida por revista americana como a cidade mais inspiradora em preservação de áreas verdes

Os medicamentos em falta fazem parte do Componente Básico da Assistência Farmacêutica (CBAF), cuja responsabilidade pela aquisição é das Secretarias Municipais de Saúde para posterior dispensação no nível ambulatorial por meio das Unidades Básicas de Saúde e abastecimento das Unidades de Pronto Atendimento.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana