conecte-se conosco

Curitiba

Moradores de prédio no Água Verde onde houve explosão são autorizados a voltar pra casa

Publicado

Por Gazeta do Povo

Os moradores do prédio no bairro Água Verde, em Curitiba, onde um apartamento explodiu durante um serviço de impermeabilização de sofá vão poder voltar para suas casas três semanas após o acidente que resultou na morte de um menino de 11 anos e deixou outras três pessoas feridas. De acordo com o jornal Boa Noite Paraná, da RPC, a Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (COSEDI), da prefeitura, liberou o retorno aos apartamentos entre o 1º e 5º andar. O andar em que aconteceu a explosão, contudo, segue interditado.

A volta para casa deve acontecer ainda durante a manhã deste sábado (20), três semanas após o acidente. As portas dos imóveis e também dos elevadores tiveram que ser consertadas. Já os moradores do sexto andar, onde ficava o apartamento que explodiu, vão ter que esperar por mais, já que parte da estrutura terá que ser totalmente refeita.

Comentários Facebook
Leia mais:  Allana Brittes registra BO contra jornalista: “O que eu fiz para ser chamada de vagabunda?”

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Após acidente na Av das Torres, ‘motorista’ bêbado é caçado pela polícia

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana