conecte-se conosco

Norte do Estado

Médico é flagrado realizando consultas particulares durante horário de trabalho como servidor público municipal

Publicado

Por Luciane Cordeiro, G1 PR

Um médico concursado da Prefeitura de Astorga, no norte do Paraná, foi preso pela Polícia Civil suspeito de realizar consultas particulares durante o horário de trabalho no município. Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o profissional foi flagrado atuando dessa forma na manhã desta segunda-feira (24)

Segundo o MP-PR, uma denúncia informou que o médico estava deixando a unidade de saúde para atender outros pacientes de forma particular no hospital municipal. Conforme essa denúncia, encaminhada a promotoria na sexta-feira (21), cada consulta valia R$ 150.

O promotor Lucilio de Held Junior diz que decidiu verificar se a denúncia procedia indo direto no posto de saúde nesta manhã.

“O profissional foi até o posto de saúde, registrou o horário de entrada, mas saiu e atendeu duas consultas particulares no hospital municipal. Temos os dois prontuários médicos que comprovam. É autorizado a realização de consultas particulares no hospital municipal, o que não pode é utilizar o horário de trabalho no município para fazer atividades particulares”, explicou.

Leia mais:  Depois de quatro dias, trecho da BR-376, entre Maringá e Sarandi, é liberado

O MP-PR afirma que essa situação estava ocorrendo desde o dia 10. “Nesse período o médico realizou aproximadamente 20 consultas particulares. Agora vamos verificar desde quando essa prática era realizada”, esclareceu o promotor Lucílio Júnior.

O médico Darci Ricardo Ramos é servidor público do município desde 2017, e tem carga horária semanal de 20 horas. Ramos também é vereador em Iguaraçu, cidade vizinha a Astorga.

A defesa do médico Darci Ricardo Ramos disse que não vai se manifestar.

O MP-PR informou que o médico pode responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e prevaricação. O caso será encaminhado à Justiça.

A diretora do Departamento Municipal de Saúde, Carolina Padanoschi, disse que o município não tinha conhecimento sobre a possível irregularidade e que vai investigar o caso. Afirmou que Darci Ramos é um profissional respeitado pela população e comprometido com a comunidade.

A Câmara de Vereadores de Iguaraçu informou que o fato é uma questão profissional do parlamentar, que não tem relação com a Câmara. Por isso, o órgão não vai se manifestar neste momento.

Leia mais:  Secretaria da Saúde realiza mutirão de vacinação contra a gripe em Londrina

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Depois de quatro dias, trecho da BR-376, entre Maringá e Sarandi, é liberado

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana