conecte-se conosco

Norte do Estado

Grupo de 37 venezuelanos chega à Maringá para trabalhar em transportadora

Publicado

G1 PR

Um grupo de 37 venezuelanos desembarcou em Maringá, no norte do Paraná, nesta terça-feira (9). Os refugiados foram selecionados para trabalhar em uma transportadora da cidade.

O processo de seleção para as vagas na empresa foi realizado em Boa Vista, em Roraima. Na prova prática, os venezuelanos comprovaram habilidades ao dirigir um caminhão do Exército Brasileiro.

“É uma imensa alegria. Eu dou graças a Deus pela oportunidade que nos deu de estar aqui, juntamente com esta empresa que nos deu essa oportunidade para que nós cresçamos aqui no Brasil”, disse o venezuelano Eduardo Mendoza.

Dos 37 refugiados, 36 vão trabalhar como motoristas na empresa contratante. Eles devem realizar viagens por outras cidades, com o trabalho.

Com a chegada deles em Maringá, a empresa contratante será responsável por providenciar toda a documentação e dar alojamento e suporte para que os novos funcionários se adaptem ao país.

Segundo o departamento de Recursos Humanos da empresa, os refugiados devem passar por um processo de integração, treinamento, avaliação e, ao final de um período, em torno de 60 dias, começam a viajar sozinhos.

Leia mais:  Operação em Londrina apreende adolescentes suspeitos de diversos crimes

O venezuelano Jesus Antônio deixou a esposa e três filhos no país natal. Ele conta que decidiu tentar uma nova vida no brasil porque já não conseguia comprar comida na Venezuela e afirma que o novo desafio é também uma oportunidade.

“Tem que trabalhar, ser honesto, responsável e sério”, ressaltou.

Do aeroporto, nesta terça-feira, os venezuelanos fizeram um passeio para conhecer a nova cidade. Na chegada à sede da empresa em que vão trabalhar, ganharam roupas e foram encaminhados aos alojamentos.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Prefeitura de Maringá entra na Justiça para não perder 'pedaço' de praça

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana