conecte-se conosco

Cidades

Com mil imóveis desocupados, Prefeitura de Ponta Grossa gasta R$ 200 mil por mês em locações

Publicado

Por Edilene Santos e Carla Yarin, RPC Ponta Grossa e G1 PR

A Prefeitura de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, gasta R$ 200 mil por mês com o aluguel de imóveis particulares. Em contrapartida, cerca de mil propriedades do município estão desocupadas. As informações são do Portal da Transparência e da Secretaria de Administração e Recursos Humanos da cidade.

A Prefeitura de Ponta Grossa é proprietária de aproximadamente 3 mil imóveis no município, que vão desde terrenos e prédios, até praças e residências. Por outro lado, a administração municipal mantém o aluguel de 30 propriedades privadas.

Entre os imóveis locados pela prefeitura estão o do Centro de Zoonoses Monteiro Lobato, com o custo de R$ 12,2 mil por mês, e o prédio onde funciona a Agência do Trabalhador, custando R$ 11 mil por mês.

O secretário de administração e recursos humanos, Ricardo Linhares, disse que a Prefeitura possui uma série de critérios para definir qual prédio deve ser alugado, seguindo a necessidade de cada secretaria.

“Por exemplo, a Secretaria do Meio Ambiente precisava de um imóvel que tivesse capacidade de receber de 50 a 55 servidores. Além disso, tem a acessibilidade à população, que fosse mais próximo ao Centro”, explica.

Leia mais:  Prefeitura realiza mais um evento de vacinação contra a gripe no sábado

O prédio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente fica na Rua Sete de Setembro, no Centro de Ponta Grossa, e tem o custo mensal de R$ 7 mil. O contrato foi assinado com a proprietária do local em julho de 2018.

Em abril deste ano, a prefeitura identificou uma dívida de R$ 69 mil em imposto na propriedade. De acordo com o secretário de administração e recursos humanos, desde então a prefeitura deixou de pagar a locação.

“Na época de assinatura do aluguel [o imóvel] tinha uma certidão positiva com efeito negativo, o que também capacita para fazer a locação. Após isso ele se tornou inadimplente. Quando detectamos isso, paramos de pagar o aluguel a essa pessoa e começamos a abater na dívida”, explica o secretário.

Imóveis desocupados

Dos mil imóveis que não estão sendo utilizados, a maioria são terrenos que devem destinados para a construção de postos de saúde e escolas, segundo a prefeitura.

A gestão municipal informou que muitos prédios de propriedade do município estão deteriorados. De acordo com a prefeitura, um projeto de lei será enviado à Câmara Municipal solicitando a venda dos imóveis.

Leia mais:  Uso de equipamentos a gás no inverno exige cuidados especiais

Comentários Facebook

Cidades

Prefeito evangélico é alvo de macumba em Mato Grosso

Publicado

O prefeito Jeferson Ferreira Gomes (DEM), de Comodoro, extremo oeste de MT, que é evangélico, foi surpreendido por um “despacho espiritural” no cemitério da cidade. A informação é do site Olhar Direto.

Segundo a publicação, o despacho foi descoberto na primeira quinzena neste mês.

No local havia um papel com nome do prefeito em cruz, garrafa de cachaça e um sapo morto. Tudo junto e misturado. O “trabalho” foi descoberto por uma moradora que visitava o túmulo de parente.

O despacho estava na porta, com terra de cemitério sobre o nome.

Não se sabe por quais motivos, alguém deseja a morte do prefeito, que não comentou o assunto.

Mistério!

Comentários Facebook
Leia mais:  Polícia Civil descarta troca de corpos de bebês que foram sepultados, em Ponta Grossa
Continue lendo

Mais Lidas da Semana