conecte-se conosco

Curitiba

Após rompimento de um oleoduto, abastecimento de água volta a ser realizado em Fazenda Rio Grande

Publicado

Após rompimento de um oleoduto na sexta-feira (15), o abastecimento de água em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, foi retomado.

De acordo com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), a previsão é de que a normalização do abastecimento ocorra gradualmente ao longo desta segunda-feira (18).

Por causa do rompimento, metade dos moradores de Fazenda Rio Grande ficou sem água.

A Sanepar informou que técnicos da companhia acompanharam os trabalhos de limpeza das equipes da Transpetro, do Instituto de Água e Terra (IAT), da Defesa Civil e da Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande no sábado (16) e no domingo (17).

O rompimento

O rompimento foi na rede de oleoduto da Petrobras em São José dos Pinhais, também na Região Metropolitana da capital paranaense, depois de uma tentativa de furto.

O rompimento ocorreu em uma chácara, na Colônia Marcelino.

O proprietário informou que o local conta com cinco nascentes de rio e mata nativa. Ele disse que vários animais, como peixes, pássaros, galinhas e patos, foram encontrados mortos.

Leia mais:  Trabalhadores protestam contra fechamento da fábrica de fertilizantes da Petrobras

Volta do abastecimento

A operação de captação de água que abastece parte da população de Fazenda Rio Grande voltou na tarde de domingo, depois de a Sanepar receber autorização do Instituto Água e Terra do Paraná (IAT).

Análises foram feitas, conforme a Sanepar, na água do rio logo abaixo do ponto do rompimento.

Monitoramento e análises serão realizados nos próximos dias para garantir a qualidade da água, ainda segundo a Sanepar.

Estiagem

Essa situação aconteceu em meio à crise hídrica que o Paraná tem enfrentado.

A estiagem já completou dez meses e, por isso, rodízios de água estão sendo feitos em Curitiba e Região

Comentários Facebook

Curitiba

Defensoria Pública do Paraná emite recomendação aos postos de combustíveis sobre reajuste abusivo

Publicado

O Núcleo de Defesa do Consumidor (NUDECON) da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) emitiu, nesta segunda-feira (14), uma Recomendação à entidade que representa os donos de postos de combustíveis do Paraná, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Derivados de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná (Paranapetro).

O objetivo, segundo o Coordenador do Núcleo, Defensor Público Erick Lé Palazzi Ferreira, é coibir o abuso quando a Petrobrás anunciar reajustes. “O que se viu em vários casos na última quinta-feira foi uma prática abusiva, uma elevação injustificada dos preços”, explica o Defensor.

De acordo com ele, a Recomendação pretende barrar a prática de repassar o reajuste com produto comprado por preço velho. “Antes de ter sido repassado o aumento, os postos já estavam aplicando. O que fizeram foi pegar um produto mais barato e colocar o preço exorbitante”.

Segundo a Recomendação, os varejistas de combustíveis devem se abster de aumentar os preços antes da existência real de reajuste das distribuidoras. “Caso haja reclamações e comprovação sobre aumento excessivo de combustíveis pelos postos, o Nudecon adotará as medidas judiciais cabíveis, individuais ou coletivas, para areparação de eventuais danos”, afirma a Recomendação.

Leia mais:  Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assume a presidência da Assomec

Na semana passada, a Petrobrás anunciou reajuste dos combustíveis. De acordo com a empresa, o aumento seria de 18,77% para a gasolina, 24,9% para o diesel e 16% para o gás de cozinha.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana