conecte-se conosco

Paraná

Venda de veículos novos cai no Paraná, e concessionárias demitem funcionários

Publicado

A venda de veículos novos despencou no Paraná, em abril. Como reflexo, concessionárias estão demitindo funcionários.

Em uma movimentada avenida de Londrina, no norte do Paraná, uma equipe de reportagem da RPC ficou fazendo imagens por meia hora. Nesse período, nenhum carro sem placas passou por ali.

Veículos zero quilômetro podem circular pela cidade por até 15 dias, desde que o motorista esteja com a nota fiscal de compra.

Baixa nas vendas

No Paraná, não há registro recente de tão baixas vendas de carros zero quilômetro.

Em abril de 2020, foram emplacados 3.370 carros, contra 10.675 em abril do ano passado. Ou seja, a queda foi de 65%.

O índice é ainda maior no caso das motos – a queda foi de 72%. No mês passado, foram emplacadas 1.232 motos. Esse número é quase quatro vezes menos do que em abril de 2019, quando foram emplacadas 4.424 motos.

Leia mais:  Paraná é o 3º estado que mais arrecada com IPVA: R$ 3,7 bilhões em 2019

Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O que diz o sindicato

Para o Sindicato do Comércio Varejista de Veículos de Londrina (Sinconave), o principal motivo que provocou essa queda nas vendas foi o fato de que, nas últimas semanas, as lojas ficaram fechadas a maior parte do tempo.

Para maio, a aposta é mais otimista. A expectativa é de vender de 60 a 70% do que foi comercializado no mês do ano passado. Porém, é preciso se interessar pelo veículo que está na loja. Não dá para fazer pedido para a fábrica.

“A fábrica está fechada desde meados de março e, provavelmente, só comece a trabalhar em junho. O que tem [na loja], é o que podemos vender”, afirmou o presidente do Sinconave, Vilson Basseto.

Entre as estratégias para levar o freguês para a concessionária, estão as promoções. Tem carro que custava R$ 86 mil e, agora, é vendido por R$ 66 mil.

Crise no setor

A crise no setor também atingiu os funcionários. Quinze porcento deles foram demitidos na Região de Londrina. Outros 15% tiveram redução nas horas trabalhadas e no salário.

Para 12%, os contratos foram suspensos por 30 dias.

Comentários Facebook

Paraná

Paraná se aproxima dos 470 mil casos de Covid-19 e mortes já são 8.676

Publicado

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (10) 1.625 casos confirmados e 7 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 469.538 casos confirmados e 8.676 mortos em decorrência da doença.

Os casos deste informe referem-se à pacientes que estiveram ou estão com a doença entre 24 de outubro de 2020 e 8 de janeiro de 2021. Os casos por data de confirmação do diagnóstico, ou encerramento (fechamento) do caso no sistema estão distribuídos nos meses: janeiro de 2021 são 1.541, os demais de 2020 nos meses de outubro 1, novembro 24 e dezembro 59. O detalhamento completo está no arquivo csv.

INTERNADOS – 1.350 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.075 pacientes em leitos SUS (585 em UTI e 490 em leitos clínicos/enfermaria) e 275 em leitos da rede particular (140 em UTI e 135 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.251 pacientes internados, 458 em leitos UTI e 793 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Leia mais:  Paraná é o 3º estado que mais arrecada com IPVA: R$ 3,7 bilhões em 2019

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 7 pacientes. São 4 mulheres e 3 homens, com idades que variam de 40 a 90 anos. Os óbitos ocorreram nos dias 8 e 9 de janeiro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em: Ponta Grossa (3), Arapongas (2). A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que morava em cada um dos seguintes municípios: Ampére e Santa Mariana.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 3.741 casos de residentes de fora, 73 pessoas foram a óbito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana