conecte-se conosco

Agro Paranaense

Santa Catarina e Paraná disputam primeiro lugar na exportação de carne de frango

Publicado

do PORTAL DO AGRONEGÓCIO

No fechamento dos cinco primeiros meses de 2019, Santa Catarina, com 39,10% do total, assumiu a liderança do setor – mas apenas na receita cambial (o Paraná ficou com 38,31%, 0,79 ponto percentual a menos). Já no volume, o Paraná mantém a liderança conquistada há tempos, com 39,39% do total, 1,33 ponto percentual a mais que Santa Catarina, com 38,06%.

Antes, porém, do detalhamento dessa disputa, um alerta: esqueça-se tudo o que o foi divulgado anteriormente acerca da distribuição federativa das exportações de carne de frango. Porque, como explicou há menos de uma semana o Ministério da Economia, “os dados de exportações e importações foram revisados”. E, no caso da carne de frango exportada, isso implicou em uma reviravolta total em comparação ao que vinha sendo até agora divulgado.

Primeira mudança que chama a atenção: no quadrimestre inicial de 2019 (janeiro-abril) as exportações do Sul somaram pouco mais de 1 milhão de toneladas (mais exatamente, 1.005.934/t). Agora, somado mais um mês de embarques (maio), elas se encontram muito próximas de 1,5 milhão de toneladas, apresentando, de um mês para outro, incremento de 44% (440 mil toneladas a mais, sabendo-se que as exportações de maio somaram 373 mil/t).

Leia mais:  Agricultores enfrentam filas de espera para descarregar milho safrinha no Paraná

Naturalmente, essa mudança é reflexo das atualizações efetuadas pela SECEX/ME. Que, neste caso específico, se concentra em Santa Catarina. Daí o Estado ter passado a liderar a receita cambial do setor.

No entanto, o que se constata a seguir é que houve um esvaziamento significativo de outros estados ou regiões. Exemplificando, Goiás e Mato Grosso passam a apresentar sensível redução nas suas exportações e contribuem para que o Centro-Oeste, até agora a segunda Região exportadora do País, caia para a terceira posição, atrás do Sudeste, que retorna ao segundo posto.

Inúmeras outras considerações podem ser elaboradas a partir dos novos indicadores da SECEX/ME. Mas, neste caso específico e para resumir, tudo indica que o órgão oficial acompanhador das exportações deixou de considerar o estado de origem do produto exportado, passando a concentrar seus números nas empresas exportadoras.

Como os três principais exportadores de carne de frango do Brasil – BRF, Seara e Cooperativa Aurora – estão sediados em Santa Catarina, é lógico que o estado passe a liderar o volume e a receita cambial do setor, independentemente do local de saída da carne de frango exportada. Só isso explica o fato de, por exemplo, Goiás (responsável, em 2018, por mais de 4% das exportações) estar com sua participação reduzida a apenas 2%.

Leia mais:  Produção de etanol de milho pode atingir 15 bilhões de litros

À guisa de fator adicional de avaliação dos resultados registrados, o AviSite incluiu na tabela abaixo o preço médio obtido em cada estado e região. Como se constata, há resultados extremamente inferiores ou superiores à média nacional. O que sugere a existência de distorções que permanecem carentes de correção. Apesar das atualizações já efetuadas.

Fonte: AviSite

Comentários Facebook

Agro Paranaense

Governo lança edital para compra de R$ 20 milhões em alimentos da agricultura familiar no Paraná

Publicado

Um edital para compra de R$ 20 milhões em alimentos da agricultura familiar no Paraná foi lançado na quarta-feira (22) pelo governo estadual. O limite será de até R$ 20 mil por agricultor em um ano, informou o governo.

A chamada pública de credenciamento do programa Compra Direta Paraná usará recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza.

Os alimentos, segundo o governo, serão destinados para restaurantes populares, cozinhas comunitárias, banco de alimentos e hospitais filantrópicos, entre outros.

Conforme o governo, os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) poderão disponibilizar os alimentos na forma de cestas básicas diretamente à população vulnerável.

Preços e prazos

O governo informou que o preço de referência para aquisição é o estabelecido pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura, sem necessidade de disputa pelo menor valor.

Para alimentos orgânicos haverá acréscimo de até 30%. As propostas podem ser apresentadas até às 17h de 27 de abril, e a divulgação dos fornecedores vencedores em cada um dos municípios será feita em 30 de abril, com um dia de prazo de recursos.

Leia mais:  Produção de etanol de milho pode atingir 15 bilhões de litros

Na sequência, o projeto final de venda deverá ser assinado pelo presidente da organização e protocolado no núcleo regional correspondente até 5 de maio, para providências de contratação. O início da entrega dos produtos está previsto para ocorrer a partir de 18 de maio.

Sistema de compra direta

A Secretaria da Agricultura e a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) desenvolveram o Sistema Compra Direta Paraná, que possibilita a operacionalização de uma única chamada pública para aquisição de mais de 70 itens e atendimento a todas as entidades beneficiárias.

Segundo o governo, na plataforma será possível registrar todas as etapas do processo, que inclui cadastro dos agricultores, apresentação das propostas de fornecimento por associações e cooperativas da agricultura familiar, classificação das organizações, habilitação e controle da execução de cada um dos contratos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana