conecte-se conosco

Curitiba

Restaurantes e lanchonetes devem abrir até às 22 horas em Curitiba

Publicado

Após reunião nesta segunda-feira (15) entre a Prefeitura de Curitiba e representantes do comércio, duas entidades ligadas ao setor de bares e restaurantes confirmaram que o setor irá voltar a atender até às 22 horas.

Confirmaram a abertura de lanchonetes e restaurantes das 12 horas às 22 horas a Abrasel-PR (Associação Brasileiras de Bares e Restaurantes do Paraná ) e a Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas).

O presidente da Abrabar, Fábio Aguayo, afirmou que a mudança não é o suficiente para o setor e que a Prefeitura de Curitiba tem criminalizado de forma generalizada os proprietários desses estabelecimentos.

“Não é uma vitória. É apenas um alento. As pessoas precisam voltar a trabalhar e aí temos bares clandestinos trabalhando em Curitiba nessa pandemia, assim vai voltar o mundo do Al Capone. Quem é sério, que paga imposto não é valorizado, é demonizado e tratado como marginal”, pontuou Aguayo.

 

No sábado (13), a Prefeitura de Curitiba avaliou que os índices do novo coronavírus (Covid-19) na cidade chegaram ao nível de “alerta médio” e por isso era necessário que lanchonetes e restaurantes ficassem abertos ao público somente entre às 11 horas e 15 horas,

Leia mais:  Feriado será sem água em bairros de Curitiba e São José dos Pinhais. Rodízio vai até domingo

Mas segundo a Abrasel e a Abrabar um novo decreto será assinado pela Prefeitura de Curitiba nos próximos dias permitindo o turno de dez horas desses estabelecimentos com portas abertas ao consumidor.

Procurada pela reportagem sobre a confirmação da elaboração de um novo decreto para lanchonetes e restaurantes, a Prefeitura de Curitiba não se posicionou sobre o tema.

Estimativa da Abrabar aponta que entre 17 mil a 20 mil pessoas perderam o emprego devido ao coronavírus em bares, casas noturnas e restaurantes de Curitiba. Desses, 30% não devem retomar suas vagas com a reabertura desses locais.

Nesta segunda-feira a Abrabar entrou com uma ação na Justiça para garantir o direito de manifestações em Curitiba. Mas Aguayo pediu desculpas ao prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, por ter ameaçado ambos de montar acampamentos na frente de suas residências.

“Às vezes usamos uma palavra, que no calor da emoção e colocamos todo o desabafo para fora. Vamos continuar nos manifestando dentro do ordenamento legal e sem ofender ninguém”, finalizou Aguayo.

Leia mais:  Cemitério de bikes: centenas de bicicletas empilhadas incomodam vizinhos em Curitiba

 

Comentários Facebook

Curitiba

Covid-19: remessa comCovid-19: remessa com 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná

Publicado

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionadA Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionada ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.a ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.

As vacinas destinadas às crianças chegaram ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 23h10, e nos próximos dias serão distribuídas para as 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Leia mais:  Homem morre após ser baleado dentro de bar em Curitiba, diz polícia

“Estamos só no começo ainda na vacinação deste novo público. Receberemos e vamos distribuir muitos lotes como este, para que, desta forma, consigamos atingir as mais de 1 milhão de crianças do Estado. Estou confiante de que, assim como foi com os adolescentes, teremos bastante comparecimento aos postos de vacinação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A imunização das crianças depende de consentimento dos pais ou responsáveis. Caso eles não estejam presentes no momento da vacinação, é necessário entregar uma autorização por escrito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana