conecte-se conosco

Política Nacional

Presidente da Comissão Especial da Previdência abre sessão e se diz otimista

Publicado

Amanda Pupo e Mariana Haubert - Estadão Conteúdo

O presidente da Comissão Especial que analisa a proposta da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), abriu, nesta manhã de quinta-feira, 4, a sessão em que se retomará o processo de votação do relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). A sessão estava prevista para às 9h desta quinta-feira (4), mas houve atraso e ela foi aberta por volta das 10h, quando atingiu o quórum necessário. Naquele momento, o painel do plenário registrava 30 presenças.

O presidente da comissão, Marcelo Ramos (PL-AM), prevê que o relatório deve ser votado ainda na parte da manhã. O deputado afirmou também a jornalistas que nenhum destaque de bancada foi retirado ainda, e que não há acordo para acelerar a apreciação destes destaques. São nove destaques da oposição e 16 de partidos do Centro e da base. “Devemos votar tudo hoje (quinta) na comissão, estou otimista”, disse.

O relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), também já chegou à sala. Na sessão, a comissão retomará o processo de votação do relatório de Moreira. Assim que a sessão começar, o presidente deverá colocar em votação um requerimento da oposição para a retirada do relatório de pauta. O instrumento é usado para obstruir a análise do texto, mas deve ser rejeitado pela maioria.

Leia mais:  STF rejeita primeiro recurso de Lula, que pedia para anular condenação no STJ

Em seguida, a comissão analisará o texto-base do relatório, que não pode mais ser modificado, e depois os destaques apresentados. Poderá ocorrer, no entanto, pedidos para inverter essa ordem.

Na quarta-feira, o presidente havia dado um prazo até às 10h desta quinta-feira para que partidos apresentassem destaques, que são instrumentos para alterar pontos específicos do texto.

Comentários Facebook

Política Nacional

Celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo de invasão por hackers

Publicado

O grupo hacker preso na terça-feira, 23, atacou celulares do presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi transmitida pela Polícia Federal ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e já foi encaminhada ao presidente. Quatro pessoas presas sob suspeita de invasão de celular de autoridades estão custodiadas em Brasília.

Na nota, o Ministério da Justiça diz que, segundo a PF, “aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23)”.

“Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, acrescenta a nota – que não informa se foi extraído conteúdo de conversas de aparelhos do presidente Jair Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública foi, por questão de segurança nacional, informado pela Polícia Federal de que aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23). Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”.

Leia mais:  Previdência: Câmara terá sessões de votação de segunda a quinta-feira na semana que vem

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana