conecte-se conosco

Cidades

MP-PR diz que imagens comprovam que Manvailer cometeu o crime de cárcere privado contra Tatiane Spitzner

Publicado

G1 PR

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) apresentou as razões de apelação sobre o recurso contra a absolvição de Luís Felipe Manvailer, réu pela morte da advogada Tatiane Spitzner, pelo crime de cárcere privado, nesta segunda-feira (24).

Conforme os promotores, há vasta prova da existência do crime, especialmente à vista das imagens colhidas pelo sistema de monitoramento do edifício em que réu e vítima residiam. Manvailer está preso desde julho do ano passado na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG).

“Ora, mais que demonstrado ficou que houve vários atos da vítima Tatiane, todos destinados a fugir, que foram cerceados e impedidos por Luis Felipe”, destacaram os promotores.

No dia 17 de maio, a Justiça definiu que Manvailer vá ao Tribunal do Júri pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual. A absolvição por cárcere privado foi determinada na mesma decisão, pela juíza Paôla Gonçalves Mancini de Lima, da Comarca de Guarapuava, na região central do Paraná.

Segundo a decisão da Justiça, Manvailer não cometeu o crime de cárcere privado pois as imagens de câmera de segurança mostram que “não houve intenção de cerceamento da liberdade de locomoção de Tatiane, […] mas sim intenção de reter a vítima por pouco tempo e contra sua vontade para que subisse ao apartamento”.

Leia mais:  Saúde do Paraná está em alerta por conta do surto de sarampo em estados vizinhos

Os promotores afirmam que um dos fatos pra que ele seja condenado também por cárcere privado é o de que “Luís Felipe Manvailer impediu, mediante violência, que a ofendida se afastasse dele, por pelo menos três vezes, situação essa que perdurou por cerca de dezenove minutos, impedindo-a de deixar a garagem do edifício quando esta tentava fugir, constrangendo-a a permanecer dentro do elevador e a ingressar no apartamento em que residiam, mediante atos de violência física, restringindo assim a sua liberdade de locomoção”.

“Verifica-se, portanto, pelas imagens ora colacionadas que o crime de cárcere privado existiu, eis que a vítima teve sua liberdade restringida por período de tempo relevante, tendo sido impedida de deixar a companhia do acusado por diversas vezes, havendo uma sequência de fatos, o que fazia com a intenção de salvar sua própria vida”, argumentaram os promotores.

Luis Felipe Manvailer está preso desde julho do ano passado na Penitenciária Industrial de Guarapuava — Foto: Reprodução/RPC

Luis Felipe Manvailer está preso desde julho do ano passado na Penitenciária Industrial de Guarapuava — Foto: Reprodução/RPC

O crime

A advogada Tatiane Spitzner tinha 29 anos e foi encontrada mortana madrugada do dia 22 de julho do ano passado, após queda do 4º andar de um prédio no Centro de Guarapuava, na região central do Paraná, segundo a Polícia Militar (PM).

Leia mais:  Apesar da chuva intensa de quarta, acumulados devem ficar abaixo da média no Paraná

Luís Felipe Manvailer está preso desde a manhã do mesmo dia da morte, após sofrer um acidente na rodovia BR-277, em São Miguel do Iguaçu, a 340 km de Guarapuava, conforme a polícia.

O laudo do exame de necropsia do Instituto Médico-Legal (IML) confirmou que a morte de Tatiane Spitzner foi por asfixia mecânica, causada por esganadura e com sinais de crueldade.

Manvailer é professor universitário de biologia e era casado com Tatiane desde 2013. O casal não tinha filhos.

Comentários Facebook

Cidades

Prefeito evangélico é alvo de macumba em Mato Grosso

Publicado

O prefeito Jeferson Ferreira Gomes (DEM), de Comodoro, extremo oeste de MT, que é evangélico, foi surpreendido por um “despacho espiritural” no cemitério da cidade. A informação é do site Olhar Direto.

Segundo a publicação, o despacho foi descoberto na primeira quinzena neste mês.

No local havia um papel com nome do prefeito em cruz, garrafa de cachaça e um sapo morto. Tudo junto e misturado. O “trabalho” foi descoberto por uma moradora que visitava o túmulo de parente.

O despacho estava na porta, com terra de cemitério sobre o nome.

Não se sabe por quais motivos, alguém deseja a morte do prefeito, que não comentou o assunto.

Mistério!

Comentários Facebook
Leia mais:  Curitiba é a capital com maior pontuação em ranking de saneamento básico
Continue lendo

Mais Lidas da Semana