conecte-se conosco

Norte do Estado

Julgamento de dois PMs acusados de matar filho de ex-jogador do Londrina é adiado

Publicado

G1 PR

O julgamento dos dois policiais militares acusados de matar Raphael Bezerra da Silva, filho do ex-jogador Zequinha, que atuou no Londrina nos anos 80 e 90, que estava previsto para ocorrer nesta quinta-feira (13), em Londrina, no norte do Paraná, foi adiado.

De acordo com a defesa do policial Edney Ronaldo Gomes, um dos militares acusados pelo crime, o júri popular foi adiado porque a defesa do outro réu não compareceu, não foi tecnicamente intimada. Não foi marcada uma nova data para o julgamento.

O crime aconteceu em novembro de 2004. Os PMs respondem, em liberdade, por homicídio duplamente qualificado.

Raphael tinha 20 anos quando foi morto. Na época, Edney Ronaldo Gomes e Rangel Barbosa da Cunha faziam parte da equipe de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone) e procuravam por criminosos que tinham roubado um carro, quando abordaram o jovem. Os disparos ocorreram em uma casa no Conjunto Ernani Moura Lima, na zona Leste.

Ao longo do processo, os PMs apontaram que os disparos ocorreram durante buscas a suspeitos e negaram excessos. Já a família de Raphael sempre disse que o jovem não tinha envolvimento com o roubo do veículo e era totalmente inocente.

Leia mais:  Equipamentos de endoscopia furtados do Hospital Universitário de Londrina foram enviados para o exterior, diz polícia

O rapaz levou 14 tiros e morreu depois de ficar internado por 40 dias. Raphael jogava no time Sport Lisboa, de Portugal, e estava de férias em Londrina.

Outro policial suspeito de envolvimento no crime, Sérgio Fontanetti, foi absolvido. José Carlos da Silva, o ex-jogador Zequinha, morreu em 2013.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Motociclista morre após ser atingido por caminhão, na PR-323

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana