conecte-se conosco

Curitiba

Inscrições para o casamento coletivo em Curitiba terminam nesta sexta-feira (6)

Publicado

As inscrições para o casamento coletivo em Curitiba terminam nesta sexta-feira (6). Na 4ª edição, o evento é realizado na Arena da Baixada, no dia 28 de março, às 18h, e a certidão de casamento será fornecida na cerimônia.

O evento é realizado pelo programa Justiça no Bairro, de responsabilidade do TJPR (Tribunal de Justiça do Estado do Paraná).

QUEM PODE PARTICIPAR DO CASAMENTO COLETIVO EM CURITIBA?

Para participar da cerimônia, os noivos devem morar no Paraná e ter renda máxima de até três salários mínimos, que é equivalente a R$ 3.117 reais. Os noivos que não forem de Curitiba, devem procurar o Cartório de Registro Civil da sua região para realizar a inscrição.

COMO POSSO ME INSCREVER?

Os casais com interesse no casamento coletivo em Curitiba devem comparecer com a documentação necessária a um cartório, que fica no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) ou na Sesc (Serviço Social do Comércio).

Já na região metropolitana de Curitiba (RMC), as inscrições podem ser feitas apenas nos Cartórios de Registro Civil e nas unidades do CRAS. Confira a lista de documentos abaixo!

  • carteira de identidade original (RG);
  • cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • comprovante de renda;
  • certidão de nascimento ou casamento com averbação do divórcio;
  • comprovante de endereço atualizado;
Leia mais:  Bandidos armados roubam carrão de luxo e mais dois veículos de loja em Curitiba

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Lava Jato bate recorde com 29 novas denúncias contra 100 pessoas em 2019

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana