conecte-se conosco

Curitiba

Empresário suspeito de ser mandante de crime em posto de combustíveis em Curitiba se contradiz em depoimentos, diz polícia

Publicado

O empresário Bruno Ramos, suspeito de ser o mandante do crime que vitimou duas pessoas em um posto de combustíveis, em Curitiba, apresentou contradições durante os interrogatórios, segundo a Polícia Civil.

O crime foi registrado no dia 11 de junho, na loja de conveniência do posto, que fica no Centro da capital, e foi motivado por uma dívida de R$ 480 mil envolvendo pedras preciosas, segundo a polícia.

O advogado Igor Kalluff, de 40 anos, e o amigo e motoboy Henrique Mendes Neto, de 38 anos, foram mortos a tiros. Além de Bruno, Ilson Bueno de Souza Júnior e André Bueno de Souza, suspeitos de terem atirado contra as vítimas, estão presos. A polícia trabalha para encontrar o terceiro suspeito, que aparece armado na cena do crime, mas não atira.

De acordo com a polícia, as contradições começaram quando, em um dos depoimentos, Bruno disse que combinou de buscar Junior [um dos atiradores preso] em um ponto de Curitiba. Ele disse ainda que, ao chegar no local, Junior teria pedido para que Bruno desse carona a outros dois homens.

Leia mais:  Acidente com ônibus que saiu de Curitiba a São Paulo deixa vários feridos

No entanto, um print de uma troca de mensagens entre o empresário e Junior, indica que o endereço não era em Curitiba, mas, sim, em Araucária, na região metropolitana.

A mensagem mostra ainda a confirmação de Bruno ao chegar ao local uma hora e meia depois. “Tô aqui”.

Bruno Ramos, Ilson Bueno de Souza Júnior e André Bueno de Souza foramindiciados pela Polícia Civil por duplo homicídio.

Conforme a Polícia Civil, no segundo interrogatório, Bruno admitiu que mentiu por instrução do advogado que o representava inicialmente, que não está mais no caso.

A câmera de segurança da loja de conveniências não captou o som, apenas as imagens. Por isso, a polícia não consegue saber exatamente o que aconteceu momentos antes dos tiros.

Comentários Facebook

Curitiba

Covid-19: remessa comCovid-19: remessa com 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná

Publicado

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionadA Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionada ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.a ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.

As vacinas destinadas às crianças chegaram ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 23h10, e nos próximos dias serão distribuídas para as 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Leia mais:  Homem morre após ser baleado dentro de bar em Curitiba, diz polícia

“Estamos só no começo ainda na vacinação deste novo público. Receberemos e vamos distribuir muitos lotes como este, para que, desta forma, consigamos atingir as mais de 1 milhão de crianças do Estado. Estou confiante de que, assim como foi com os adolescentes, teremos bastante comparecimento aos postos de vacinação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A imunização das crianças depende de consentimento dos pais ou responsáveis. Caso eles não estejam presentes no momento da vacinação, é necessário entregar uma autorização por escrito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana