conecte-se conosco

Curitiba

Daniel provocou a morte dele quando entrou no meu quarto, diz Cristiana

Publicado

Dez dias após a decisão de pronúncia, que determinou a ida dos sete réus a júri popular pela morte do jogador Daniel, Cristiana Brittes concedeu entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, do SBT. Ao Conexão Repórter, ela voltou a afirmar que foi importunada e que foi vítima de Daniel.

‘’Que matou o Daniel foi o meu marido, mas graças às atitudes dele. Ele provocou a morte quando entrou no meu quarto, quando ele não respeitou a minha cama, quando ele não me respeitou, eu jamais dei qualquer intimidade pra ele”, afirma Cristiana.

Questionada sobre ter alguma responsabilidade na morte do jogador, ela afirmou: “Nenhuma, eu fui vítima do Daniel”.

Pronúncia

Cristiana Brittes chegou a ser denunciada por homicídio qualificado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), mas para a juíza Luciani Regina Martins de Paula, “a completude de provas revela que não há ‘indícios suficientes de autoria’ para a Pronúncia, mas não revela – com absoluta e inequívoca certeza – que a acusada não concorreu para o crime.”

Leia mais:  Balão cai na cobertura do Terminal do Pinheirinho, em Curitiba

Na entrevista, ela disse o que espera do julgamento. “Eu espero ser absolvida, com certeza.”

Edison Brittes

Praticamente sem ver Edison desde a época do crime, Cristiana falou de sua relação com ele. “Eu tive só um marido, só um homem na minha vida”, relatou, concluindo que espera continuar vivendo com ele.

Cristiana ainda revelou o que o marido fez ao chegar em casa após o crime: “Ele abraçou a Allana, pediu desculpas, acredito que pelo que tenha feito. Ele abraça ela e fala ‘me perdoa’”, declarou. Ela ainda foi questionada de uma possível distância com Edison no momento e ela confirmou. “Acho que por tudo o que aconteceu, nem mesmo procurei falar com ele”, concluiu.

Comentários Facebook

Curitiba

Covid-19: remessa comCovid-19: remessa com 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná 65,5 mil vacinas para crianças chega ao Paraná

Publicado

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionadA Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) recebeu na madrugada desta terça-feira (18) mais 65.500 vacinas da Pfizer/BioNTech para crianças, de 5 a 11 anos, contra a Covid-19.

Esta é a segunda remessa direcionada ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.a ao público infantil e faz parte do 78º Informe Técnico do governo federal. O documento orienta os municípios a vacinarem seguindo a ordem de prioridades, começando pelas crianças com comorbidades e deficiências permanentes.

As vacinas destinadas às crianças chegaram ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 23h10, e nos próximos dias serão distribuídas para as 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Leia mais:  Balão cai na cobertura do Terminal do Pinheirinho, em Curitiba

“Estamos só no começo ainda na vacinação deste novo público. Receberemos e vamos distribuir muitos lotes como este, para que, desta forma, consigamos atingir as mais de 1 milhão de crianças do Estado. Estou confiante de que, assim como foi com os adolescentes, teremos bastante comparecimento aos postos de vacinação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A imunização das crianças depende de consentimento dos pais ou responsáveis. Caso eles não estejam presentes no momento da vacinação, é necessário entregar uma autorização por escrito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana