conecte-se conosco

Polícial

PM prende fugitivo da PECO e apreende simulacro e entorpecentes, em Tapejara

Publicado

O Bemdito

A Polícia Militar de Tapejara e a Rotam do 7º Batalhão prenderam na manhã desta quarta-feira (10) um foragido da Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (PECO), outras três pessoas e apreenderam diversos objetos, entre eles um simulacro de pistola e entorpecentes.

Por volta das 6h20 foi dado cumprimento a um mandado de busca de apreensão em uma residência localizada no bairro Julina I, em Tapejara. No imóvel foram localizados dois homens e uma mulher e, com um deles, um pequeno tablete de maconha. Na residência foram encontrados 9 aparelhos celulares, 31 pacotes de fumo, serras e brocas. Questionados sobre os objetos, os dois homens informaram que seriam destinados a arremessos na PECO.

Em um cômodo anexo à casa foi localizado um homem de 27 anos, identificado como foragido da penitenciária. Com Wellington Maicon Elias da Silva, conhecido como ‘Blindado’, foi localizado um simulacro de pistola, uma munição de calibre 12 deflagrada e um tablete de maconha.

Na continuidade das buscas ainda foram encontrados objetos com possível proveniência de furtos e roubos, como notebooks e aparelhos de DVD.

Leia mais:  Adolescente de 15 anos é apreendido em Cianorte com mais de 260 pedras de crack

No quintal da residência havia um esboço da penitenciária desenhado na terra, com alguns pedaços de madeira. Esta madeira é o mesmo material utilizado em uma escada artesanal usada nesta madrugada para fazer arremesso de produtos para o interior do presídio. Os três indivíduos confessaram ser os autores do arremesso ocorrido.

Os quatro ocupantes da residência foram encaminhados para a sede do Destacamento da PM de Tapejara e posteriormente encaminhados para a 17ª Delegacia de Polícia Civil de Cruzeiro do Oeste, onde foram entregues todos os objetos apreendidos para tomada de providências.

Comentários Facebook

Polícial

Rapaz não aceita o termino, mata ex-namorada carbonizada e comete suicídio em Mato Grosso

Publicado

Rapaz não aceita o termino, mata ex-namorada carbonizada e comete suicídio, aponta Polícia

Dois corpos foram encontrados na manhã deste sábado (27), próximo do Parque de Exposições de Santa Carmem (531 km ao Norte de Cuiabá). Um deles a polícia acredita que seja de uma professora de 25 anos. Ele estava carbonizado dentro de um veículo – também destruído pelo fogo. O outro já foi identificado e é de um rapaz de 20 anos, que estava enforcado perto do carro. Ao que tudo indica, o crime foi passional e pode ter sido um feminicídio seguido de suicídio.

Conforme as informações obtidas pelo , o caso foi registrado por volta das 6h30, quando testemunhas encontraram o corpo de Carlos Eduardo Cordeiro da Luz, 20, pendurado por uma fita reboque. A ocorrência de suicídio tomou outra proporção quando, cerca de 5 metros do local, havia um carro queimado com um corpo dentro.

Diante do flagrante, o local foi isolado, Polícia Civil e Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) foram acionadas. Constatou que o carro estava em nome de Keylane Costa Martins, 25, apontada como a possível vítima carbonizada. Além de o veículo estar no nome dela, a jovem não foi localizada pela Família. Keylane e Carlos tiveram um relacionamento, mas ele não aceitava o término e insistia em uma volta.

Leia mais:  Adolescente de 15 anos é apreendido em Cianorte com mais de 260 pedras de crack

Segundo a Polícia, Carlos já tinha histórico de violência doméstica e inclusive foi preso pelo crime em outubro de 2019. Perícia apontou que perto do rosto e do pescoço de Carlos haviam arranhões, o que pode significar uma tentativa de defesa da vítima, que acabou sendo morta e queimada pelo companheiro e em seguida, tirou sua própria vida.

Como o corpo de Carlos estava conservado, ele acabou sendo identificado por populares. As famílias foram avisadas por telefone. Mas, apesar de todos os indícios, a confirmação de que o corpo é de Keylane só será feita após um exame da Perícia.

Nas redes sociais, amigos já começam manifestam o luto por Keylane. Ela era pedagoga e ainda cursava arquitetura e urbanismo. Os corpos foram removidos pela Politec e o caso será investigado pela Polícia Civil de Sinop.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana