conecte-se conosco

Política Nacional

‘Confio no papel decisivo da Câmara e do Senado’, diz Guedes sobre reforma da Previdência

Publicado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira (27) que confia no “papel decisivo” da Câmara e do Senado na reforma da Previdência.

Guedes deu a declaração após se reunir com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), na residência oficial do parlamentar.

Há duas semanas, o ministro criticou mudanças no texto da reformafeitas na comissão especial da Câmara que analisa o tema. As críticas estremeceram a relação entre Guedes e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“Estamos todos muito construtivos, eu confio nessa capacidade de articulação política, no papel decisivo tanto da Câmara dos Deputados, quanto do Senado”, disse Guedes a jornalistas, ao lado de Alcolumbre .

Guedes foi questionado sobre as mudanças no texto da reforma. Desta vez, o ministro disse que “cada um tem seu papel”, em referência ao trabalho de deputados e senadores que analisam o tema.

“Sobre o relatório, vocês sabem, cada um tem o seu papel. O papel do Ministério da Economia era mandar a proposta. E a proposta ia até R$ 1,2 trilhão. Quando sai o relatório, o parecer, é natural que eu dissesse. O BPC eu achei apreciável, eu achei também muito interessante a retirada do rural, achei que a retirada dos servidores públicos não era tão interessante, porque podia atingir a potência fiscal do pacote, e me ressenti também a retirada dos estados e municípios”, declarou.

Leia mais:  Previdência: comissão consolida texto aprovado em plenário, e PEC segue para votação em 2º turno

O ministro disse ainda que um dos itens retirados do texto que ele gostaria que voltassem para a reforma é a inclusão de estados e municípios nas novas regras previdenciárias.

“É importante para as finanças deles [estados e municípios] também. Porque senão, lá na frente, eles estão fragilizados com as finanças deles, e em vez de usar os recursos do Pré-Sal e esse Novo Pacto Federativo para crescerem vão usar para pagar contas”, disse.

Governadores

Após a reunião, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, pediu participação dos governadores para que estados e municípios voltem para a reforma.

“É preciso que os governadores digam que apoiam a reforma da Previdência, que querem a inclusão dos estados e municípios, mas é preciso que eles reúnam as suas bancadas para pedir para as suas bancadas para apoiarem a reforma”, afirmou.

Segundo Alcolumbre, os governadores se comprometeram a tentar buscar uma saída para devolver os estados e municípios para a reforma.

“A gente sabe da importância dessa reforma para equilibrar as contas públicas e, muito mais do que isso, da segurança para muitos investidores vierem para o Brasil, investirem no Brasil, fazer a economia girar, para gerar os empregos que os brasileiros esperam da política, do Congresso e do governo”, disse.

Leia mais:  Maia se reúne com líderes para definir votação da reforma da Previdência

Por Laís Lis, G1 — Brasília

Comentários Facebook

Política Nacional

Celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo de invasão por hackers

Publicado

O grupo hacker preso na terça-feira, 23, atacou celulares do presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi transmitida pela Polícia Federal ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e já foi encaminhada ao presidente. Quatro pessoas presas sob suspeita de invasão de celular de autoridades estão custodiadas em Brasília.

Na nota, o Ministério da Justiça diz que, segundo a PF, “aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23)”.

“Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, acrescenta a nota – que não informa se foi extraído conteúdo de conversas de aparelhos do presidente Jair Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública foi, por questão de segurança nacional, informado pela Polícia Federal de que aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23). Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”.

Leia mais:  Senado aprova PEC que altera regras de tramitação de medidas provisórias

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana