conecte-se conosco

Paraná

Bombeiros alertam para o início da ‘temporada de incêndios’ no Paraná

Publicado

Rodolfo Luis Kowalski

Encerrada a estação de chuvas, o Corpo de Bombeiros alerta para o início da temporada de incêndios no Paraná. É que o clima agora costuma começar a ficar mais seco e com ventos mais fortes, o que facilita a ocorrência de incêndios (principalmente os ambientais) e também a sua propagação.

Segundo o Sistema Digital de Dados Operacionais do Corpo de Bombeiros do Parnaá (SYSBM-CCB), a cada dia é registrado no estado a ocorrência de 45 incêndios — ou um incêndio a cada 32 minutos, em média. Entre janeiro de 2015 e junho deste ano (até ontem), foram 72.555 registros desse tipo no Paraná.

Os meses de julho, agosto e setembro são os que concentram o maior número de ocorrências, sendo que 40,5% dos episódios de incêndio são registrados justamente nesses três meses do ano.

De acordo com os bombeiros, os incêndios ambientais podem ser causados por fatores da natureza (incidência de raios e combustão espontânea) ou pela ação do homem (queimadas para limpeza de terrenos destidas ao plantio, fogueiras para acampamento, incêndios criminosos ou simplesmente pelo descuido de jogar uma bituca de cigarro em local inapropriado). O sistema de Previsão de Risco de Fogo, inclusive, aponta que há risco de incêndios ambientais em aproximadamente 60% de todo o território paranaense – e isso considerando os alertas de nível crítico.

Leia mais:  Com o coronavírus, setor de serviços registra segundo maior tombo da história no Paraná

Por isso, os bombeiros alertam e orientam a população sobre os cuidados necessários para esse período de clima mais seco e ventos fortes, com o objetivo de prevenir a ocorrência de incêndios — no último sábado, inclusive, o morro do Capivari Mirim foi atingido por um incêndio que durou cerca de 24 horas e consumiu aproximadamente 5 mil metros quadrados de mata nativa.

Dentre as medidas listadas pela corporação estão a recomendação para não utilizar queimadas para a limpeza de terrenos baldios; não jogar lixo em terrenos baldios; não jogar bitucas de cigarro na beira das estradas ou jogar em lugar inapropriado durante passeios em meio amata; e não fazer fogueiras durante caminhadas ou acampamentos.

Inversão térmica afeta a saúde
A sequência de dias sem chuva, comum no outono/inverno no Paraná, traz alguns transtornos à população e ao meio ambiente. Quem sofre com doenças respiratórias, por exemplo, observa uma piora significativa, pois a poeira/poluentes fica mais concentrada no ar que respiramos. Esta situação ocorre devido ao fenômeno chamado de inversão térmica, quando o ar próximo a superfície é mais frio (portanto mais pesado) do que o situado logo acima. Esta condição ocorre normalmente durante a madrugada/manhã. Outro problema mais frequente nesta época são os incêndios florestais.

Leia mais:  Licitação para comprar urnas atrasa e TSE aumenta eleitores por seção

Comentários Facebook

Paraná

Paraná se aproxima dos 470 mil casos de Covid-19 e mortes já são 8.676

Publicado

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (10) 1.625 casos confirmados e 7 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 469.538 casos confirmados e 8.676 mortos em decorrência da doença.

Os casos deste informe referem-se à pacientes que estiveram ou estão com a doença entre 24 de outubro de 2020 e 8 de janeiro de 2021. Os casos por data de confirmação do diagnóstico, ou encerramento (fechamento) do caso no sistema estão distribuídos nos meses: janeiro de 2021 são 1.541, os demais de 2020 nos meses de outubro 1, novembro 24 e dezembro 59. O detalhamento completo está no arquivo csv.

INTERNADOS – 1.350 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.075 pacientes em leitos SUS (585 em UTI e 490 em leitos clínicos/enfermaria) e 275 em leitos da rede particular (140 em UTI e 135 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.251 pacientes internados, 458 em leitos UTI e 793 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Leia mais:  Paraná é o 3º estado que mais arrecada com IPVA: R$ 3,7 bilhões em 2019

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 7 pacientes. São 4 mulheres e 3 homens, com idades que variam de 40 a 90 anos. Os óbitos ocorreram nos dias 8 e 9 de janeiro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em: Ponta Grossa (3), Arapongas (2). A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que morava em cada um dos seguintes municípios: Ampére e Santa Mariana.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 3.741 casos de residentes de fora, 73 pessoas foram a óbito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana