conecte-se conosco

Curitiba

Prefeitura cria Vale Alimentar e estende benefício a 17 mil estudantes carentes

Publicado

A Prefeitura de Curitiba instituiu o Vale Alimentar, no valor de R$ 70 mensal por família, para compensar a falta de alimentação nas escolas e nos CMEIs durante a paralisação das aulas, decretada em função da pandemia de coronavírus. Trata-se da extensão de um benefício que é dirigido as famílias em situação de vulnerabilidade social e que recebem o Bolsa Família do governo federal.

Aproximadamente 17 mil estudantes – 12,8 mil do ensino fundamental e cerca de quatro mil da educação infantil – serão beneficiados.

 

“Curitiba é maior que seus desafios e com estas medidas estamos garantindo alimentação para quem mais precisa”, afirma o prefeito Rafael Greca.

Como vai funcionar

As famílias irão retirar os alimentos em uma das 34 lojas do programa Armazém da Família, da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), existentes no município. Para evitar a aglomeração de pessoas nas lojas, o atendimento será escalonado para 750 pessoas por dia.

Quem tiver direito ao benefício será cadastrado no sistema dos Armazéns da Família, com base em informações da Secretaria Municipal da Educação.

Leia mais:  Caixa amplia horário de atendimento em 20 agências no Paraná; veja a lista

Para pegar os alimentos, o responsável pelo estudante precisa se dirigir a uma das lojas, com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e um documento com foto em mãos.

A logística final de entrega está sendo concluída. O início da distribuição ainda será informado.

Montagem da cesta

O Vale Alimentar dá ao beneficiário a oportunidade de montar uma cesta com os gêneros que a família escolher.

Com R$ 70 é possível comprar nos Armazéns da Família – que vendem produtos até 30% mais baratos que nos mercados convencionais – uma cesta básica com 1 achocolatado 700g, 5kg de açúcar, 5kg de arroz branco tipo1, 500g de café a vácuo, 3 latas de extrato de tomate, 1kg de farinha de mandioca, 5kg de farinha de trigo, 2kg de feijão preto, 3 litros de leite integral, 1,5kg de macarrão c/ovos – espaguete e 1 óleo de soja 900ml.

Quem preferir usar o vale para comprar carnes poderá levar para casa 7kg de peito de frango congelado, 4,5kg de filé de tilápia congelada ou 4,5kg de pernil suíno.

Leia mais:  Marcha para a Diversidade será neste domingo em Curitiba. Confira a programação

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  Após ‘acidente’, casal de turistas vira refém de bandidos e passa por momentos de tensão

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana