conecte-se conosco

Curitiba

“Não levo Bolsominion, abraço”, diz motorista do Uber após cancelar corrida em Curitiba

Publicado

Tribuna Paraná

Uma viagem de Uber cancelada no dia das manifestações em favor do ex-juiz Sérgio Moro, em Curitiba, no último domingo (30), é motivo de polêmica nas redes sociais de Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

Um motorista de aplicativo teria cancelado uma corrida e enviado uma mensagem de texto ao passageiro dizendo que não levaria “Bolsominion”, após passar pelo cliente que vestia camiseta verde-amarela.

Revoltado, o passageiro fez um print da tela do celular com a mensagem e a imagem acabou publicada em uma das páginas de Facebook da República de Curitiba. Carlos Bolsonaro recebeu a informação como uma forma de denúncia e a publicou em seu Tweeter, na manhã de terça-feira (2), cobrando uma reposta da Uber do Brasil sobre o assunto.

A atitude de Carlos Bolsonaro foi suficiente para que chovessem comentários a respeito do comportamento do motorista de aplicativo, a favor e contra. Chama a atenção o fato de Carlos não esconder o nome do motorista e nem a placa do carro dele. A postagem mostra as mensagens recebidas pelo passageiro via aplicativo. No print da tela aparecem cinco mensagens. Olhando a sequência de baixo para cima, primeiro, de forma automática, a Uber informa que o motorista está a caminho. Logo em seguida, um minuto depois, entra uma mensagem do motorista dizendo “Olá”. Dois minutos depois, a mensagem traz o nome do motorista e a placa do carro dele. No mesmo instante, chega a penúltima mensagem do print, que vem do motorista: “Não levo Bolsominion, abraço”. A última mensagem é automática da Uber, cancelando a viagem.

Leia mais:  Bombeiros recebem plataformas especiais de combate a incêndios vindas da Finlândia

A sequência de mensagens, segundo a reclamação do passageiro, indicaria que o motorista viu que ele seria alguém a caminho das manifestações que ocorreram na Boca Maldita, no Centro de Curitiba, naquele domingo.

Ver imagem no TwitterNa terça-feira, às 10h55, a postagem de Carlos Bolsonaro, no Twitter, foi a seguinte: “Diante do exposto solicito à @Uber_Brasil que tome providências pois um motorista com esta postura pode oferecer riscos à empresa e aos usuários da mesma. Acabo de receber esta denúncia e gostaria, se possível de algum retorno caso seja interesse da credibilidade da uber.”

A reportagem entrou em contato com a Uber do Brasil, questionando as providências que a empresa tomará diante da situação, mas não obteve resposta até o fechamento da matéria. O grupo de advogados do motorista citado por Carlos Bolsonaro também foi contatado. Assim como a Uber, eles também não deram resposta.

Até a manhã desta sexta-feira (5), a postagem do filho do presidente apresentava 4,9 mil retweets e 34,2 mil curtidas. Entre as repostas dos tweeteiros de plantão, há quem concorda com o filho do presidente e quem toma o lado do motorista.

Leia mais:  Trânsito do Paraná é o segundo que mais mata ciclistas, mostra levantamento

Comentários Facebook

Curitiba

VÍDEO: Ônibus com 37 pessoas perde o freio na serra entre Curitiba e Joinville

Publicado

Um ônibus de viagem que fazia o trajeto Belém (PA) – Florianópolis (SC) perdeu os freios enquanto trafegava na rodovia BR-376 na madrugada da Última quarta-feira, 6. O veículo ocupado por 37 passageiros, sendo oito crianças, atingiu 118 km/h e só parou depois de entrar na área de escape do quilômetro 671,7, em Guaratuba (PR). Ninguém se feriu.

De acordo com a Arteris Litoral Sul, concessionária do trecho, o ônibus entrou 115 metros na área de escape por volta da 1h45. O condutor relatou às equipes que não conseguiu mais utilizar os freios dois quilômetros antes da área e, como ele já conhecia o dispositivo, direcionou o ônibus para entrada.

O motorista e os passageiros foram transportados até um posto de apoio para seguirem viagem com suporte da empresa responsável.

Segundo a concessionária, essa foi a sexta vez que um ônibus usou a área de escape, inaugurada em agosto de 2011. Neste período ela foi utilizada por 257 veículos pesados, ajudando a salvar 376 vidas.

Leia mais:  Vídeolocadoras em extinção. Saiba onde estão as ‘resistentes’ em Curitiba

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana