conecte-se conosco

Norte do Estado

MP-PR e Polícia Civil abrem novas investigações sobre desvios de recursos do Hospital Universitário de Londrina

Publicado

Por RPC Londrina

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) e a Polícia Civil abriram novas investigações para apurar desvios de recursos do Hospital Universitário (HU) de Londrina, no norte do Paraná. As investigações começaram após a morte de uma servidora da instituição.

Lucélia Pires Ferreira, tinha 56 anos, e foi encontrada morta em um rio em Porecatu, na região norte, em outubro de 2018. Ela foi vista pela última vez deixando a nora em um camelódromo, na Sona Sul de Londrina, na manhã de 3 de outubro.

A mulher seguiu em direção à Avenida Dez de Dezembro e deveria ter chegado ao Hospital Universitário (HU), onde trabalhava como secretária. No dia seguinte, o carro dela foi encontrado ao lado de uma ponte no limite entre os municípios de Porecatu e Alvorada do Sul. O corpo estava dentro do rio.

Em março deste ano, a Polícia Civil fez uma operação para apurar um esquema de corrupção que causou um prejuízo superior a R$ 1 milhão ao HU.

Leia mais:  Prefeitura de Maringá entra na Justiça para não perder 'pedaço' de praça

As investigações começaram em outubro 2017, depois de denúncias do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR). Na época, se suspeitou que a servidora pública Lucélia Ferreira, que era responsável pela Secretaria da Diretoria Clínica do Hospital Universitário, fraudava licitações para a contratação de serviços médicos através de empresas terceirizadas. Dessa forma, pagamentos indevidos eram gerados.

A investigação detalhou que a servidora copiava o Registro Demonstrativo de Frequência de Trabalho de um médico contratado por uma empresa lícita e lançava junto no processo de pagamento de uma empresa que era do genro dela, um homem de 26 anos, que era estudante de medicina veterinária. Conforme a Polícia Civil, o mesmo trabalho era lançado duas vezes.

Agora, o novo inquérito civil, aberto pelo MP-PR, vai apurar irregularidades na contratação de empresas terceirizadas para prestação de serviços médicos pelo hospital. O MP-PR quer confrontar dados da Universidade Estadual de Londrina (UEL) com os do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) para saber se os procedimentos adotados pelo hospital causou prejuízos ao cofres públicos.

Leia mais:  Jovem que corria atrás de pipa morre atropelado, em Cambé

A Polícia Civil também abriu uma nova investigação contra dez médicos, que também são professores da Universidade Estadual de Londrina (UEL), suspeitos de receberam duplamente pelos serviços prestados. Conforme a polícia, os profissionais receberam salários como servidores do estado e também como profissionais contratados por uma empresa terceirizada.

Os profissionais são investigados pelos crimes de peculato e falsidade ideológica, por fraudes em registros de cartões ponto.

A morte de Lucélia Pires Ferreira ainda não teve causa definida. A Polícia Civil ainda não sabe dizer se ela se matou ou se foi assassinada.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

Publicado

Duplicação de Londrina a Mauá da Serra terá investimento de R$ 148 milhões

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) divulgou nesta segunda-feira (22) o resultado final da licitação para duplicar a PR-445 entre Mauá da Serra e o distrito de Lerroville, de Londrina, na região Norte. O consórcio DT PR 445, composto pelas empresas Dp Barros Pavimentação e Construção Ltda. e Tríade Pavimentações S.A., foi declarado vencedor por ter feito a proposta de preço mais vantajosa à administração pública, de R$ 148.032.561,17, e por ter toda a sua documentação habilitada. As demais participantes têm cinco dias úteis, até as 18h do dia 26 de novembro, para protocolarem recursos quanto ao resultado da licitação, seguido por outros cinco dias para contrarrazões, caso algum recurso seja interposto. Na sequência será publicada a homologação do resultado e adjudicação da realização da obra à vencedora, seguidas por trâmites internos para assinatura do contrato. Estão previstas a duplicação de 27,07 quilômetros da PR-445, implantação de um viaduto no acesso ao município de Tamarana, vias marginais entre Tamarana e Lerroville, uma rótula no acesso para Lerroville, pontes sobre os rios Santa Cruz e Apucaraninha, onze retornos em nível, a correção da geometria em sete curvas consideradas críticas, e restauração da pista existente. A pista nova terá duas faixas de rolamento de 3,60 m cada, em sentido único, e acostamento externo de 2,50 m, separada da pista atual por um canteiro central de 7 m a 9 m de largura e faixa de segurança de 60 centímetros de cada lado, na maior parte do trecho. No local onde não será possível o canteiro, as pistas serão separadas por barreira rígida de concreto New Jersey, com faixa de segurança interna de 1 metro de largura em cada lado. O prazo para concluir a obra é de 18 meses após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. Serão beneficiados diretamente os mais de 25 mil habitantes de Mauá da Serra e Tamarana, além de todo o tráfego de veículos entre Londrina e Curitiba, ou entre Londrina e Paranaguá.

Leia mais:  Motociclista morre após bater veículo contra árvore em rodovia de Londrina

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana