conecte-se conosco

Política Nacional

Ministro Osmar Terra diz que liberação da maconha para fins medicinais ‘abre portas para consumo generalizado’

Publicado

G1

Em audiência que debatia a regulamentação da maconha para fins medicinais no Brasil, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, declarou que a liberação do plantio da cannabis deve estimular o “consumo generalizado” de drogas. A audiência, na terça-feira (9), foi na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

O ministro Osmar Terra avalia que a legalização da maconha, ainda que limitada à finalidade científica e terapêutica, seria difícil de controlar no Brasil. “Se abrir as portas do plantio, vai ter consumo generalizado”, afirmou. “Se não se controla com a proibição, imagina controlar no detalhe? É o começo da legalização da maconha no Brasil.”

De acordo com informações da Agência Senado, a audiência foi convocada por sugestão de representantes da sociedade. A “Sugestão nº 6 de 2016” foi apresentada pela Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (Reduc) e o seu relator é o Senador Alessandro Vieira (Cidadania/RS). A sugestão “Propõe um padrão regulamentar abrangente para a maconha medicinal e o cânhamo industrial no Brasil”.

Terra declarou, ainda, que entende a preocupação de “mães carinhosas e preocupadas” com os filhos doentes, para os quais a cannabis pode se apresentar como uma nova alternativa medicinal.

Leia mais:  Bolsonaro veta bagagem gratuita em voos domésticos no Brasil

“Elas têm que ter o apoio necessário. Mas eu poderia fazer uma reunião aqui com as mães que perderam os filhos para a droga, que são muito mais numerosas”, comentou. Terra afirma que a violência aumentou nos países do mundo onde houve liberação da maconha.

Em 11 de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou duas propostas preliminares que podem liberar o cultivo da planta de Cannabis sativa no Brasil para fins medicinais e científicos, além da produção de medicamentos nacionais com base em derivados da substância. A proposta será submetida a uma consulta pública antes de decisão definitiva. O plantio doméstico de maconha por pessoas físicas e para o consumo recreativo continuará proibido no país.

Em 11 de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou duas propostas preliminares que podem liberar o cultivo da planta de Cannabis sativa no Brasil para fins medicinais e científicos, além da produção de medicamentos nacionais com base em derivados da substância. A proposta será submetida a uma consulta pública antes de decisão definitiva. O plantio doméstico de maconha por pessoas físicas e para o consumo recreativo continuará proibido no país.

Leia mais:  Lava Jato declarou apoio a Moro em momento de tensão com STF, dizem mensagens
Planta da cannabis — Foto: Reuters

Planta da cannabis — Foto: Reuters

A Fiocruz afirma que seguiu rigorosamente as normas do edital por meio do qual foi contratada para fazer a pesquisa. A Câmara de Conciliação da AGU deve resolver o impasse. A Advocacia-Geral da União é responsável por mediar conflitos entre órgãos públicos federais.

Comentários Facebook

Política Nacional

Celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo de invasão por hackers

Publicado

O grupo hacker preso na terça-feira, 23, atacou celulares do presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi transmitida pela Polícia Federal ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e já foi encaminhada ao presidente. Quatro pessoas presas sob suspeita de invasão de celular de autoridades estão custodiadas em Brasília.

Na nota, o Ministério da Justiça diz que, segundo a PF, “aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23)”.

“Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, acrescenta a nota – que não informa se foi extraído conteúdo de conversas de aparelhos do presidente Jair Bolsonaro.

Leia a íntegra da nota:

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública foi, por questão de segurança nacional, informado pela Polícia Federal de que aparelhos celulares utilizados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foram alvos de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça feira (23). Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”.

Leia mais:  TSE vai comprar 180 mil urnas eletrônicas para eleições de 2020

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana