conecte-se conosco

Curitiba

Informações dos ônibus estão no aplicativo Curitiba 156

Publicado

SMCS

Serviços e informações sobre o transporte coletivo de Curitiba agora estão na palma da mão. Com o aplicativo para celular Curitiba 156 os passageiros podem fazer bloqueio do cartão-transporte, consultar o extrato completo do crédito de passagens e ainda ver no mapa da cidade a localização em tempo real das 250 linhas de ônibus, os itinerários e horários.

Dentro do aplicativo Curitiba 156, basta clicar no ícone Meu Ônibus para as funcionalidades aparecerem. Se a opção for o itinerário, o sistema traça rotas para o cidadão, informa as linhas em tempo real próximo ao ponto exato do caminho em que está o ônibus.

Um ícone aparece acima do nome da linha selecionada mostrando se ela tem acessibilidade e ainda se aceita apenas cartão-transporte, além de estimar o tempo do trajeto. Outra vantagem desse aplicativo em relação a outras plataformas como o Google Transit, por exemplo, é que o Meu Ônibus mostra para o passageiro todos os pontos de parada da linha selecionada ao longo do trajeto.

Origem e destino

O Curitiba 156 usa a plataforma do Itibus da Urbs, que foi aperfeiçoada para virar aplicativo. Uma das novidades dessa nova versão é o serviço de Origem e Destino.

Leia mais:  Guarda Municipal manda 133 novos oficiais para aumentar segurança em Curitiba

O cidadão digita o local onde está e o destino que deseja chegar e o aplicativo mostra quais são as opções de ônibus mais próximas do local de partida. “A opção de origem e destino não existia dentro da versão do Itibus”, explicou Vilson Kummel, gestor de Tecnologia de Informação da Urbs.

Consultar créditos

Ainda dentro do Meu Ônibus, é possível marcar a linha mais usada com frequência em “favoritar”, facilitando uma próxima consulta. O usuário do cartão-transporte pode consultar o saldo de créditos de passagem pelo aplicativo e obter um extrato simplificado dos usos do cartão.

Bloqueio e desbloqueio do cartão-transporte

Outra importante novidade que o aplicativo traz para o cidadão é a opção de bloquear ou desbloquear o cartão-transporte. Antes, para bloquear o cartão só era possível ligando para a Central 156 e, o desbloqueio pessoalmente num dos postos de atendimento da Urbs. Agora, em caso de roubo ou perda do cartão o titular pode fazer o bloqueio diretamente pelo aplicativo e do contrário, também desbloquear quando reaver o cartão.

Cadastro no aplicativo

Se o cidadão já tem conta no portal de internet da Central deverá ativar o Curitiba 156 utilizando o mesmo login e senha. Se ainda não tem, será necessário se cadastrar, ativar a conta por meio de um link enviado por e-mail e depois fazer o login com CPF e senha. Os sistemas são sincronizados.

Leia mais:  37 toneladas de peixes são apreendidas em operação contra a pesca ilegal no Paraná

No cadastramento da identificação é possível acrescentar uma foto de perfil e incluir a leitura digital por biometria, se o aparelho celular tiver esta funcionalidade e, inclusive, fazer login pelo Facebook.

Baixe agora:
Google Play: https://bit.ly/2HNKqps
Apple Store: https://apple.co/2OseibJ

Comentários Facebook

Curitiba

Jovem que estava desaparecida foi assassinada em Curitiba

Publicado

Desaparecida desde outubro deste ano, a jovem Ana Carla Dalacosta de Menezes foi encontrada morta em Curitiba. O corpo já havia sido localizado na manhã do dia 10 do mês passado, mas só nesta sexta-feira (19) foi identificado.

Ana era moradora de Rolândia e foi considerada desaparecida após sair de casa informando que iria atrás de um emprego em Maringá. Alguns dias depois, ela teria sido vista em Apucarana.

No entanto, Ana viajou para Curitiba e foi brutalmente assassinada na capital paranaense. O corpo foi localizado em chamas às margens do Rio Belém, na Rua Sérgio Venci, por moradores da região. A Guarda Municipal foi chamada e controlou o fogo.

A Polícia Científica realizou a perícia e contratou que ela pode ter sido morta asfixiada, antes de atearem fogo no corpo.

Nos últimos dias, o pai da vítima divulgou nas redes sociais sobre o seu desaparecimento, pois estranhou que ela estava há muitos dias sem se comunicar com a família. Ao descobrir que havia um corpo no Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, que batia com as características de Ana Carla, familiares foram até a capital e com um exame de arcada dentária, conseguiram confirmar que se tratava dela. A família também reconheceu as roupas que ela usava.

Leia mais:  37 toneladas de peixes são apreendidas em operação contra a pesca ilegal no Paraná

A Divisão de Homicídios segue com a investigação para tentar identificar o autor ou autores do crime. A motivação do crime ainda é desconhecida.

O corpo de Ana Carla após ser liberado, deverá ser encaminhado para Rolândia onde acontecerá o enterro.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana