Começaremos este texto realizando uma afirmação que, mesmo sem poder mensurar quantos e quais serão os leitores, dificilmente estará errada. Eu, você e todo mundo têm aquela história, seja ela um filme, um livro, uma série – ou ainda uma das páginas da vida cotidiana – que podem se repetir inúmeras vezes e que, de forma alguma, perdem o encanto para quem observa.

Na noite desta quarta-feira, pela quinta vez consecutiva e sexta vez nos últimos três anos, o Ceará venceu seu rival em um Clássico-Rei válido pela Série A, se distanciou das últimas posições e elevou sua moral para o decorrer do ano.

Para além do resultado, assim como naquela cena do filme que já vimos inúmeras vezes e sabemos exatamente até o momento da respiração de nosso personagem preferido, vimos Vina ser decisivo, dar uma assistência magistral e, com a mesma euforia da primeira vez que isso ocorreu, gritamos e celebramos o camisa 29.

Cléber, um gigante que aparenta conseguir ser ainda maior nos embates com o maior adversário de nossa história, pela quarta vez foi às redes e castigou o outro protagonista da história do Clássico-Rei.

Leia mais:  De virada, Paraná vence o Ceará pelo Brasileiro de Aspirantes

Se em campo aqueles que jogavam repetiram tudo o que vinham fazendo nos últimos clássicos; fora dele os 30% do público que lotava a Arena Castelão contrariaram a matemática e se fizeram maior do que os rivais, proporcionando mais uma festa linda aos olhos de quem assistia.

A história se repetiu e teve o mesmo sabor da primeira vez em que aconteceu. Assim como nas outras vezes em que vimos tudo isso, a expectativa é a de que , mais uma vez, tudo termine com um final feliz.

Matheus Pereira/Departamento de Comunicação – CSC 

fonte: https://www.cearasc.com//noticia/e-historia-se-repete