conecte-se conosco

Curitiba

Curitiba confirma 475 casos, 101 pacientes em UTI e infectologista alerta: “Não chegamos no pico”

Publicado

A Secretaria Municipal da Saúde confirmou, nesta quarta-feira (24), mais 475 casos confirmados e quatro mortes por Covid-19 em Curitiba. Segundo o boletim divulgado na live diária, 101 pacientes estão internados na UTI com a doença. Apesar dos altos números, a médica infectologista Marion Burger fez um alerta de que a capital paranaense ainda não chegou no pico da doença.

A situação da pandemia está começando em Curitiba e nós não estamos no pico da doença. O pico nos espera nas próximas semanas ou ainda no próximo mês, então é importante que todos estejamos preparados para aguentar essa maratona. É uma maratona de cada um de nós enquanto cidadãos, precisamos pensar na nossa saúde, mas principalmente na saúde coletiva. Esse pensamento tem de permear as ações das pessoas, uma vez que é impossível a gente conter a transmissão em aglomerações. A nossa transmissão hoje em Curitiba é preponderantemente nas famílias, portanto nem reuniões familiares podem acontecer”, disse Burger.

Entre as 475 novas confirmações, há testes de farmácia e realizados em outros pontos de coleta da cidade ao longo das últimas duas semanas. Com os novos registros, Curitiba chega a 3.773 casos de infecção pela doença do novo coronavírus.

Leia mais:  Câmara aprova urgência para projeto de socorro ao transporte coletivo de Curitiba

Mortes

Todas as vítimas fatais desta quarta-feira são homens, com idade entre 72 e 82 anos e estavam internados. Os óbitos foram nas últimas 48 horas e os pacientes tinham doenças crônicas graves.

Com as confirmações, chega a 120 o número de mortes desde o início da pandemia.

Internamentos

Entre os confirmados, 303 pacientes com resultado positivo para covid-19 estão internados em hospitais públicos e privados da capital paranaense, 101 deles em UTI.

A taxa de ocupação das 223 UTIs do SUS exclusivas para covid-19 na capital é de 83% – todos aqueles que deram entrada no internamento com sintomas de síndromes respiratórias agudas graves vão para leitos exclusivos covid-19 e não apenas os com casos confirmados.

Comentários Facebook

Curitiba

Defensoria Pública do Paraná emite recomendação aos postos de combustíveis sobre reajuste abusivo

Publicado

O Núcleo de Defesa do Consumidor (NUDECON) da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) emitiu, nesta segunda-feira (14), uma Recomendação à entidade que representa os donos de postos de combustíveis do Paraná, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Derivados de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná (Paranapetro).

O objetivo, segundo o Coordenador do Núcleo, Defensor Público Erick Lé Palazzi Ferreira, é coibir o abuso quando a Petrobrás anunciar reajustes. “O que se viu em vários casos na última quinta-feira foi uma prática abusiva, uma elevação injustificada dos preços”, explica o Defensor.

De acordo com ele, a Recomendação pretende barrar a prática de repassar o reajuste com produto comprado por preço velho. “Antes de ter sido repassado o aumento, os postos já estavam aplicando. O que fizeram foi pegar um produto mais barato e colocar o preço exorbitante”.

Segundo a Recomendação, os varejistas de combustíveis devem se abster de aumentar os preços antes da existência real de reajuste das distribuidoras. “Caso haja reclamações e comprovação sobre aumento excessivo de combustíveis pelos postos, o Nudecon adotará as medidas judiciais cabíveis, individuais ou coletivas, para areparação de eventuais danos”, afirma a Recomendação.

Leia mais:  Feiras especiais de Natal vão até segunda e têm opções de presentes criativos

Na semana passada, a Petrobrás anunciou reajuste dos combustíveis. De acordo com a empresa, o aumento seria de 18,77% para a gasolina, 24,9% para o diesel e 16% para o gás de cozinha.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana