Notícias

Quinta-Feira, 02 de Maio de 2019 16:05

Corte de verbas do MEC tira R$ 48 milhões da UFPR e ameaça funcionamento da instituição

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve R$ 48 milhões do orçamento previsto para este ano bloqueados pelo Ministério da Educação e Cultura. O montante do corte foi repassado à instituição nesta quinta-feira, 2, e segue a determinação de contingenciar 30% das verbas para orçamento das universidades federais públicas, conforme anúncio feito na última terça-feira, 30, pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.  O corte do orçamento poderia, de acordo com estas fontes, impactar no funcionamento das instituições compromente o pagamento de água, luz, telefone, contratos de terceirizadas responsáveis por limpeza e vigilância. 

De acordo com  a assessoria da UFPR,  uma nota estaria para ser publicada nesta tarde e, tão logo, os estudos sobre o impcato na instituição sejam conhecidos, serão divulgados.

No entanto, nos meios acadêmicos circula a informação de que os cortes podem impedir o funcionamento da instituição a partir do segundo semestre deste ano. Professores, funcionários e alunos já estariam se articulando para tentar reverter essa situação e paralisações não são descartadas.  O corte do orçamento poderia, de acordo com estas fontes, impactar no funcionamento das instituições compromente o pagamento de água, luz, telefone, contratos de terceirizadas responsáveis por limpeza e vigilância. 

A UFPR é a oitava instituição que mais produz conhecimento no Brasil segundo ranking da Clarivate Analytics – entre as universidades federais, a UFPR fica na quinta posição. O levantamento foi feito a partir de publicações científicas da base de dados Web of Science nos últimos cinco anos. A UFPR é responsável por 3,8% da produção científica no país, com 8.156 trabalhos publicados de 2014 a 2018.

Fonte: Bem Paraná com assessoria

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}