Notícias

Segunda-Feira, 03 de Dezembro de 2018 12:52

Após desistência da TCGL, prefeito diz que Londrina 'não ficará sem transporte coletivo'

O prefeito Marcelo Belinati (PP) foi interrogado durante a manhã desta segunda-feira (3) pela primeira vez após o anúncio da TCGL (Transportes Coletivo Grande Londrina) em não participar da licitação do ônibus. O contrato com a empresa e a Londrisul, responsável pelo serviço na zona sul e nos distritos rurais de Londrina, vence no dia 19 de janeiro. "Eu garanto que a cidade não vai ficar sem o transporte coletivo. Espero uma boa disputa na concorrência que abrimos", disse. Durante entrevista coletiva, Belinati acrescentou que "está na prefeitura para defender os interesses da população, e não de qualquer empresa. Estamos acabando com um monopólio do transporte com esse edital, o que não era feito há muitos anos. Vamos corrigir tudo aquilo que estava errado, trazendo uma tarifa justa para os passageiros. Respeito a posição da TCGL, mas asseguro que os postos de trabalho serão mantidos", comentou. 

Além da decisão em não concorrer ao processo licitatório, a instituição informou que 1.660 funcionários serão demitidos. "Não gostaríamos de sair de Londrina. Temos os ônibus, funcionários e estamos operando, mas, diante dos termos propostos, não temos o interesse de participar. Caso mude, podemos estudar continuar a concorrer. Mas ressalto que não deixaremos a cidade na mão, iremos esperar a substituição do serviço de acordo com o que determina a lei", afirmou o diretor geral da TCGL, Gildalmo de Mendonça, na tarde da última sexta-feira (30), também em entrevista à imprensa. 

"Quando a empresa quer ter mais lucro, significa uma passagem mais cara e, consequentemente, a piora do serviço", comentou. Sobre a sugestão da TCGL em aumentar a tarifa dos atuais R$ 3,95 para R$ 4,60, o prefeito confirmou que "não irá autorizar esse reajuste. Não precisa desse valor". Segundo a Grande Londrina, a defasagem no valor cobrado hoje faz com que a companhia esteja acumulando, este ano, um prejuízo até o momento de R$ 11 milhões. 

A TCGL é responsável por 85% da cobertura de ônibus no município. O restante é administrado pela Londrisul. 
(com informações do repórter Edson Neves, do jornal NOSSO DIA) 

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}