conecte-se conosco

Política Nacional

Ministro Osmar Terra diz que liberação da maconha para fins medicinais ‘abre portas para consumo generalizado’

Publicado

G1

Em audiência que debatia a regulamentação da maconha para fins medicinais no Brasil, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, declarou que a liberação do plantio da cannabis deve estimular o “consumo generalizado” de drogas. A audiência, na terça-feira (9), foi na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

O ministro Osmar Terra avalia que a legalização da maconha, ainda que limitada à finalidade científica e terapêutica, seria difícil de controlar no Brasil. “Se abrir as portas do plantio, vai ter consumo generalizado”, afirmou. “Se não se controla com a proibição, imagina controlar no detalhe? É o começo da legalização da maconha no Brasil.”

De acordo com informações da Agência Senado, a audiência foi convocada por sugestão de representantes da sociedade. A “Sugestão nº 6 de 2016” foi apresentada pela Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (Reduc) e o seu relator é o Senador Alessandro Vieira (Cidadania/RS). A sugestão “Propõe um padrão regulamentar abrangente para a maconha medicinal e o cânhamo industrial no Brasil”.

Terra declarou, ainda, que entende a preocupação de “mães carinhosas e preocupadas” com os filhos doentes, para os quais a cannabis pode se apresentar como uma nova alternativa medicinal.

Leia mais:  ‘Não temos nada a esconder no BNDES’, diz Joaquim Levy em CPI da Câmara

“Elas têm que ter o apoio necessário. Mas eu poderia fazer uma reunião aqui com as mães que perderam os filhos para a droga, que são muito mais numerosas”, comentou. Terra afirma que a violência aumentou nos países do mundo onde houve liberação da maconha.

Em 11 de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou duas propostas preliminares que podem liberar o cultivo da planta de Cannabis sativa no Brasil para fins medicinais e científicos, além da produção de medicamentos nacionais com base em derivados da substância. A proposta será submetida a uma consulta pública antes de decisão definitiva. O plantio doméstico de maconha por pessoas físicas e para o consumo recreativo continuará proibido no país.

Em 11 de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou duas propostas preliminares que podem liberar o cultivo da planta de Cannabis sativa no Brasil para fins medicinais e científicos, além da produção de medicamentos nacionais com base em derivados da substância. A proposta será submetida a uma consulta pública antes de decisão definitiva. O plantio doméstico de maconha por pessoas físicas e para o consumo recreativo continuará proibido no país.

Leia mais:  Em 9 horas no Senado, Moro minimiza crise e admite sair se for provada irregularidade
Planta da cannabis — Foto: Reuters

Planta da cannabis — Foto: Reuters

A Fiocruz afirma que seguiu rigorosamente as normas do edital por meio do qual foi contratada para fazer a pesquisa. A Câmara de Conciliação da AGU deve resolver o impasse. A Advocacia-Geral da União é responsável por mediar conflitos entre órgãos públicos federais.

Comentários Facebook

Política Nacional

‘Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira’, afirma Bolsonaro

Publicado

Gabriel Wainer e Beth Lopes - Estadão Conteúdo

No café da manhã com correspondentes de veículos internacionais, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira, 19, que “falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira”. Para ele, no Brasil “passa-se mal, pessoas não comem bem, mas fome não”.

“Você não vê gente, mesmo os pobres, pelas ruas com físico esquelético como a gente vê em outros lugares do mundo”, disse o presidente, sem mencionar nominalmente nenhum país.

A fala de Bolsonaro foi em resposta a uma correspondente do jornal espanhol El Pais, que afirmou que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), manifestou preocupação com a desigualdade de renda no País e perguntou qual o trabalho que o governo tem feito para reduzir a pobreza.

Comentários Facebook
Leia mais:  ‘Se atrasar mais uma semana, não tem problema’, diz Bolsonaro sobre reforma da Previdência
Continue lendo

Mais Lidas da Semana