LONDRINA E REGIÃO

03/01/2018 14:47 www.youtube.com

O reajuste da tarifa do transporte coletivo de Londrina deve ser menor do que pedido pelas empresas

Deve pesar na composição da tarifa o preço do diesel, aumento salarial, inflação e redução do subsídio do passe livre a estudantes

O reajuste da tarifa do transporte coletivo de Londrina deve ser menor do que pedido pelas empresas, afirmou o prefeito Marcelo Belinati nesta terça-feira (2). "O pedido é para uma tarifa de R$ 4,40; não vai chegar nem perto disso", disse. O valor do passe, que hoje custa R$ 3,75, deve ser anunciado ainda esta semana. 

Segundo o prefeito, a definição do valor ainda depende de discussões entre as empresas e os funcionários sobre a recomposição dos salários. A folha de pagamento de motoristas e cobradores representa em torno de 52% da tarifa, de acordo com Belinati. 
Este ano, além da inflação, preço do diesel e recomposição salarial, outro componente também vai influenciar no novo preço: o passe livre. A prefeitura não fará o repasse de R$ 25 milhões em subsídio às empresas de transporte coletivo, conforme projeto já aprovado na Câmara em 19 de dezembro. 
Conforme o texto legal, terão direito ao benefício apenas os estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e alunos de cursos profissionalizantes, além daqueles que comprovarem que não têm condições de pagar pelo transporte. Quem perde o direito ao passe livre volta a pagar 50% do valor da passagem. A outra metade será incorporada na tarifa de ônibus, como acontecia anteriormente. A mudança está sendo levada em consideração nos cálculos pela CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização). 
As empresas divulgaram no dia 29 de dezembro, por meio do Metrolon (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina), uma nota defendendo reajuste da tarifa para R$ 4,40, um aumento de quase 18%. Na nota, o Metrolon disse esperar que, em cumprimento ao contrato que determina que a tarifa deve manter o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transportes, o município tome as devidas providências mantendo os reajustes anuais da tarifa como faz todos os anos. 
De acordo com o sindicato, o aumento nos custos aliado à queda de passageiros de 9% em 2017 (cerca de 320 mil passageiros por mês) já justificariam uma correção da tarifa para um valor próximo a R$ 4,11. Para o cálculo da tarifa de 2018, o Metrolon expõe despesas como a redução de subsídio aos estudantes, aumento do preço do diesel e outros insumos, além de reajuste nos salários dos trabalhadores do transporte, e defende o valor de R$ 4,40. 
Segundo o prefeito, cabe às empresas buscarem maneiras para recuperarem os passageiros, levando em consideração que aumentou a concorrência de meio de transportes como táxi e Uber.
 POR Aline Machado Parodi

 
 
 

Fale com a gente

Londrina.. Rua paranagua. 876 centro de londrina PR
Fone 043 98435 0286 / 043 98416 9659

Rua Duque de Caxias, 145
São Francisco Curitiba- PR
Fone: 041 3152 0071

Coluna Social

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo